Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Construção civil deve diminuir o ritmo de expansão em 2011, diz CNI

30 Out 2010 - 09h15Por Agência Brasil

O ritmo da atividade na construção civil deve diminuir um pouco no início do ano que vem, de acordo com a Sondagem da Construção Civil, divulgada hoje (29) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador de expectativa dos empresários em relação às atividades do setor para os próximos seis meses caiu de 65,3 para 60,8 pontos entre setembro e outubro deste ano.

De acordo com análise técnica da pesquisa, realizada de 4 a 19 deste mês com 393 empresas do ramo, o ano de 2010 será lembrado pela forte expansão do setor, mas “os primeiros indícios do ano de 2011 mostram um crescimento mais moderado”. A redução do otimismo decorre do aumento da preocupação com as condições financeiras das empresas e com a competição acirrada do mercado.
 
A sondagem mostra que o indicador de margem de lucro operacional das construtoras caiu de 52,4 para 50,2 pontos no terceiro trimestre do ano em comparação com o segundo trimestre. Ao mesmo tempo, o indicador de situação financeira diminuiu de 55,1 para 53,9 pontos. Os indicadores da pesquisa variam de zero a 100. Valores acima de 50 pontos indicam crescimento.
 
Além disso, o indicador do nível de atividade também recuou de 56 para 53,8 pontos, de agosto para setembro. Embora tenha perdido o fôlego, o índice permanece, pelo oitavo mês seguido, acima da média histórica para o período. A pesquisa da CNI informa que a queda do indicador foi puxada pelo pior desempenho das médias e grandes empresas da construção civil.
 
A falta de trabalhador qualificado é apontada por 64% dos empresários do setor como o principal problema para a expansão da construção civil. O segundo maior peso, revelado por 58% dos empresários é a elevada carga tributária, e o terceiro maior entrave é provocado pela falta de qualificação profissional, porque as empresas têm que investir mais na formação de pessoal, com aumento de custos, como afirmaram 30,2% dos entrevistados.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico