Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 21 de novembro de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Congresso Nacional volta hoje ao trabalho

2 Ago 2004 - 07h14
Após 19 dias de recesso, o Congresso Nacional retoma hoje suas atividades, mas as votações começam mesmo no próximo dia 10. Entre os projetos mais importantes que devem ser votados, estão a Reforma do Judiciário, as parcerias público-privadas e a Lei de Biossegurança.

As lideranças dos partidos firmaram um acordo prevendo que o segundo semestre tenha menos dias de sessões deliberativas, mas dois períodos de esforço concentrados. Além deste que começa na próxima semana, está previsto outro período de esforço concentrado em setembro.

Na Câmara dos Deputados, a agenda de hoje prevê apenas uma sessão debates, sem votações. Os parlamentares ainda se dedicam às campanhas eleitorais em seus estados, mas deverão ser convocados na semana que vem para votação de matérias prioritárias da pauta.

O Senado Federal precisa votar seis medidas provisórias para destrancar a pauta e começar a votação da Reforma do Judiciário. Durante o recesso, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), enviou um comunicado aos senadores informando que pretende colocar a Reforma do Judiciário em votação a partir de 10 de agosto. O texto básico da Proposta de Emenda à Constituição foi aprovado na primeira quinzena de julho, mas pode ser mudado se for acolhido algum dos quase 200 destaques ao relatório do senador José Jorge (PFL-PE).

O presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), Edison Lobão, acredita que o projeto das PPP deve ser enviado ao plenário ainda em agosto.

Antes da votação da reforma do Judiciário, o Plenário precisa votar seis medidas provisórias que trancam a pauta. Tem preferência na Ordem do Dia o projeto que prorroga até 2019 a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) pago pelas empresas que produzem bens e serviços de informática.

Entre as medidas provisórias a serem analisadas, estão a que estabelece a obrigatoriedade de as unidades vinculadas ao Sistema Único de Saúde (SUS) oferecerem atendimento odontológico à população e a que torna obrigatório o uso da linguagem inclusiva, de tratamento igualitário entre homens e mulheres, na legislação e em documentos oficiais.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

NA LUTA PELA VIDA
Assessoria nega morte e diz que Gugu está na UTI
ENTÃO!!!
Galvão Bueno teria provado 'Viagra Natural' horas antes de passar mal
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Como cuidar da pele no verão?, O Boticário te ajuda, confira
POLITICA NOVA
Candidatos de novo partido podem ficar de fora das eleições
DOENÇA TERRIVEL
Zé Felipe, filho de Leonardo, gasta R$9 mil a cada medicação para doença incurável
MORTE E COMOÇÃO
Mãe de ator Caio Junquera morre dez meses após adeus ao filho
FAMOSIDADES
Bruna Marquezine doa R$ 120 mil para ajudar orfanato no Rio
FUTEBOL
Galvão Bueno passa mal, é operado às pressas em Lima e não narrará final da Libertadores
BOA NOTÍCIA
2020 terá o dobro de feriados prolongados; Confira as datas
CONSEGUIU
Estudante brasileiro mora na Bolívia pega 25 veículos para passar por bloqueios e chegar até fronteira em MS