Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 20 de março de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Concursos públicos reforçam a segurança pública de MS

19 Ago 2004 - 17h54
Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, através da secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e da secretaria de Gestão Pública (Seges), autorizou o ingresso de novos cargos para serem preenchidos na Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Agepen,  com o objetivo de reforçar a segurança pública.

 Em setembro, 576 novos policiais militares que iniciaram o curso no mês de dezembro do ano passado. Deste total, 320 estão sendo formados na capital e o restante nas cidades de Dourados, Ponta Porá, Naviraí, Nova Andradina, Jardim e Paranaíba. Serão convocados mais 159 alunos para o curso de formação de soldados.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, cel. José Ivan de Almeida, o reforço do policiamento já trouxe bons resultados para a segurança preventiva em nosso Estado, tendo em vista que os alunos passaram a estagiar no policiamento ostensivo logo que receberam as primeiras noções de policiamento. “Com a convocação de mais 159 alunos, o governo do Estado está recompondo de forma significativa o efetivo da Polícia Militar em nosso Estado”, complementou o comandante.

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo