Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 20 de junho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Comissão de Educação do Senado aprova lei de Biossegurança

11 Ago 2004 - 15h59
A Comissão de Educação do Senado aprovou hoje, em votação simbólica, a Lei de Biossegurança, em meio a muita polêmica sobre o texto. O relator do projeto, senador Osmar Dias (PDT-PR), acabou incluindo no substitutivo a autorização para uso de células-tronco (embrionárias) em atividades científicas. Segundo o texto aprovado pela Comissão, a pesquisa com células-tronco poderá ser realizada se os embriões estiverem estocados há pelo menos três anos, ou se forem congelados até o dia da publicação da lei.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se manifestou publicamente contra a utilização de células-tronco em atividades científicas. Para a CNBB, o embrião já representa o início da vida e não pode se tornar um “instrumento” da ciência. Já para os cientistas, as células-tronco têm a capacidade de se transformar em diferentes tipos de células e tecidos e podem, com essa característica, ajudar na cura de doenças como o Mal de Alzheimer e o Mal de Parkinson.

“Essa medida é uma estratégia para garantir a pesquisa no país sem o risco de criação de um banco de embriões. Queremos permitir a pesquisa, não o comércio”, defendeu o senador Osmar Dias. A pesquisa com células-tronco é atualmente proibida no Brasil, mas existe um estoque de mais de 20 mil embriões congelados em todo o país. O projeto de lei segue agora para votação nas Comissões de Assuntos Sociais e de Economia do Senado.

A expectativa do líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), é que o projeto seja aprovado esta semana nas comissões e siga para votação no plenário do Senado, no segundo esforço concentrado do semestre, previsto para o final de agosto.
A Lei de Biossegurança também regulamenta a pesquisa e a comercialização de organismos geneticamente modificados. Além disso, ela cria o Conselho Nacional de Biossegurança, órgão vinculado à Presidência da República com a missão de autorizar, em última instância, as atividades que envolvem o uso comercial dos transgênicos e seus derivados.

A matéria é considerada prioritária pelos parlamentares, uma vez que o plantio da soja no Sul do país começa em setembro. No ano passado, o governo federal foi obrigado a legalizar o plantio e a comercialização da soja transgênica para evitar prejuízos aos produtores rurais, especialmente no Rio Grande do Sul. A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF) decidiu, no final de junho, liberar o plantio e a comercialização das sementes transgênicas que estejam de acordo com licenças concedidas pela Comissão Técnica Nacional de Biosegurança (CTNBio). Na prática, a plantação de soja transgênica está autorizada no país até que o TRF realize o julgamento final do caso.
 
 
Agência Brasil 

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIOLENCIA DOMESTICA
Jovem que agrediu a própria mãe por não poder ir a baile funk é presa
ATAQUE CANINO
Criança de dois anos é morta no quintal de casa por cachorro rottweiler
INFANTICIDIO
Padrasto teria sentado em cima da cabeça de bebê que morreu,foi espancado na cadeia
SOB INVESTIGAÇÃO
Jornalista do site Lei Seca Maricá foi assassinado com 3 tiros
VIDA SEDENTARIA
OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular
HOMICIDIO X SUICIDIO
Pai que matou o filho de 4 anos e se matou não se conformava com namoro da ex-mulher
DOENÇA DO SÉCULO
Jovem de 19 anos, com depressão comete suicídio e comove amigos
ASSASSINATO CRUEL
O massacre do menino Rhuan e o silêncio da grande mídia
FAMOSIDADES
Homem discute com mulher e mata bebê de quatro meses
SOLIDARIEDADE
Bebê nasce sem os olhos e mobiliza cidade do Paraná