Menu
SADER_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Começa a cerimônia de abertura dos jogos Pan-americanos

13 Jul 2007 - 16h55

A cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro teve início há pouco no estádio do Maracanã, com atraso de 20 minuots, conta com a presença de torcedores, chefes de Estados, celebridades, dançarinos, voluntários, técnicos e, claro, os atletas, que juntos festejarão a paz e a união dos povos na representação do esporte. A capacidade é para 95 mil espectadores.

Apesar dos contratempos em torno da preparação da festa, devido a falta de pagamento da empresa responsável pelo serviço de montagem do palco, todo o continente americanos volta seus olhares para o Maracanã, e a cerimônia prevista para durar pouco mais de duas horas, centenas de ritmistas farão um balé que imita a orla de Copacabana, os cenários do Pantanal e da Amazônia e as festas populares do Nordeste. Toda a performance serão ambientada por canções muito conhecidas do público como "Tico-Tico no Fubá", "Brasileirinho" e "Cidade Maravilhosa", que encerrará a cerimônia de abertura da 15 edição dos Jogos Pan-Americanos.

A cerimônia, que será apresentada pelo ex-atleta Robson Caetano e pela ex-jogadora de vôlei Virna, começará com o hasteamento da bandeira do Brasil no Maracanã onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o público acompanham a execução do Hino Nacional na voz da cantora Elza Soares.

Após o hasteamento da Bandeira do Brasil, o baiano Kainã do Jeje, de 12 anos, abre o segmento artístico tocando um rum, instrumento típico do candomblé, e tendo como resposta o som de 1.500 percursionistas (o equivalente a cinco baterias de escolas de samba) dispostos pelo palco, gramado e acessos nas arquibancadas e cadeiras do estádio. Arnaldo Antunes e Ana Costa cantam a música-tema ‘Viva Essa Energia’ e o público acompanha com a coreografia ensaiada anteriormente.

As delegações dos 42 países participantes dos Jogos desfilam entre os ritmistas, ao som de chorinhos brasileiros. A delegação do Brasil encerra o desfile e a Miss Brasil Nathália Guimarães leva a bandeira ao centro do Palco, onde se encontram as porta-bandeiras das demais delegações. Após a execução do Hino do Rio 2007, pela Orquestra Sinfônica Brasileira, começam as apresentações artísticas, que exploram três energias distintas: a do Sol, a das Águas e a do Homem.

Cerca de 7 mil pessoas e 25 coreógrafos se envolveram na preparação da cerimônia, e as referências ao carnaval carioca são inevitáveis, incluindo na hora em que os porta-bandeiras de cada país dançam ao longo de um palco circular de cerca de cinco metros de altura montado no centro do gramado do Maracanã.

Um dos momentos que prometem grande vibração do público será após a apresentação dos países, quando duas enormes cobras-coral invadem o gramado entre bailarinos que representam a vegetação do Pantanal e da Amazônia. Enquanto isso, um jacaré gigantesco aparece para arrancar aplausos dos espectadores e bailarinos vestidos de sapos saltam em trampolins transformados em vitórias-régias. Tudo em uma explosão de cores que representa a flora do País.

De repente, o Maracanã se tornará uma grande praia carioca e o cenário de Copacabana, com seu calçadão preto e branco, surge ambientado por temas tocados por Tom Jobim e representado por bailarinos em azul, armados com bandeiras e vestidos em maiôs com bolinhas.

Logo depois, será a vez dos boi-bumbás que cercarão a cantora Adriana Calcanhoto sentada em uma cadeira gigante que desliza pela arena do Maracanã ao som de "Boi da Cara Preta" e junto com um boneco que lembra o carnaval de Olinda. A festa seguirá com a entrada da tocha dos Jogos para o da pira.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos