Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Com técnico interino, Corinthians pega o Atlético-MG no Mineirão

29 Ago 2007 - 10h40

José Augusto é o 14º treinador corintiano na era dos pontos corridos. Desde 2003, quando esse sistema de disputa foi adotado no Brasileiro, o clube do Parque São Jorge jamais conseguiu iniciar e terminar o torneio com o mesmo técnico.

"As mudanças de treinador são coisas chatas. Não dá tempo de buscar uma solução para os problemas", diz o interino, substituto de Paulo César Carpegiani, a última vítima da dança das cadeiras corintiana.

O último a passar incólume no Nacional foi Carlos Alberto Parreira, em 2002. Ele levou o time ao vice-campeonato.

No ano seguinte, o clube teve os treinadores Juninho, Júnior, Jairo Leal (interino) e Geninho. Em 2004, foram dois: Oswaldo de Oliveira e Tite.

Um ano depois, na vitoriosa campanha do time milionário montado com o aporte financeiro da MSI, Daniel Passarella, Márcio Bittencourt e Antônio Lopes, que acabou campeão, conduziram a equipe.

Em 2006, quando o Corinthians passou 17 rodadas na zona de rebaixamento, Geninho e Leão assumiram o comando. Foi este último, aliás, adversário corintiano na noite de hoje, à frente do Atlético-MG, que salvou o time alvinegro da degola.

"O problema do Corinthians não é de técnico, mas o interesse de dirigentes para que seus jogadores não criem raízes no clube. Isso [a troca constante de treinadores] só vai acabar quando acharem que o clube não deve ser apenas uma vitrine para a venda de atletas", declarou Leão à reportagem.

Ele ficou no Corinthians por oito meses, o recorde de tempo no período de parceria com a MSI. E foi o único que teve autonomia para contratar atletas no clube. A maioria dos jogadores que trouxe foi questionada. Mas lançou o meia Willian no time profissional.

"Quando eu assumi a equipe diziam que eu era técnico de tiro rápido. Mas eu fiquei mais tempo do que todos na era MSI. Fiquei oito meses, enquanto os outros não passaram de quatro meses", afirma ele, que atribui à parceira corintiana o difícil momento do clube.

"O Corinthians não está assim por causa do Corinthians, mas por essa herança maldita da MSI", falou Leão, que durante sua estada no clube esteve sempre em atrito com a empresa parceira. Hoje no Atlético-MG, Leão enfrentará os corintianos pela primeira vez desde que foi demitido do cargo, em abril deste ano.

E move ação na Justiça contra o time do Parque São Jorge, exigindo cerca de R$ 1,5 milhão por quebra de contrato.

"Para mim não tem diferença nenhuma [enfrentá-los]. Eu não tripudio do clube em que trabalhei, deixei amigos e posso um dia voltar. Só lamento que mais uma vez demitiram um colega [Carpegiani]", disse o treinador, que acredita ter dado lucro ao Corinthians.

"Eu não disse que eu me pagava? O Willian foi vendido por US$ 19 milhões, o lateral [Fágner] saiu por 4 milhões de euros. Agora estou fazendo um beque central aqui, o Leandro Almeida, que daqui a pouco estará na seleção brasileira", afirmou.

"Agora tenho que salvar o Atlético-MG", completou ele, sobre o time, 10º colocado.

ATLÉTICO-MG
Édson; Coelho, Marcos, Vinícius e Thiago Feltri; Rafael Miranda, Gérson, Marquinhos e Danilinho; Éder Luis e Vanderlei.
Técnico: Emerson Leão

CORINTHIANS
Felipe; Edson, Zelão, Fábio Ferreira e Gustavo Nery; Bruno Octávio, Moradei, Carlos Alberto e Bruno Bonfim; Everton Santos e Finazzi.
Técnico: José Augusto

Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte
Horário: 21h45
Árbitro: Giulliano Bozzano (DF)

 

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos