Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 16 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Com novas regras do BC, dólar fecha em queda de 0,97%

11 Jun 2007 - 16h19

O dólar caiu no primeiro dia de negociações sob o novo limite de exposição cambial definido pelo Banco Central, refletindo fortes ingressos de recursos e a melhora dos mercados internacionais. Nesta segunda-feira, o dólar recuou 0,97% e fechou a R$ 1,941.

As bolsas de valores norte-americanas e a Bolsa de Valores de São Paulo subiram, depois de uma semana de realização de lucros por preocupações com inflação e taxas de juro maiores nas principais economia do mundo.

"Lá fora, parece que deu uma acalmada, pelo menos por enquanto, e (investidores) estão voltando a vender dólar", comentou o gerente de câmbio de um banco nacional, que pediu para não ser identificado. Ele citou fortes ingressos de uma empresa nacional do setor de energia, mas não detalhou o montante.

O impacto imediato das novas regras do BC foi praticamente nulo. Na sexta-feira à noite, o BC anunciou a redução do limite de exposição cambial dos bancos para 30% do patrimônio de referência, já valendo nesta sessão.

Outras duas medidas passam a vigorar em 2 de julho e envolvem elevação de 50 para 100% do requerimento de capital incidente sobre a exposição; além de mudanças na metodologia de análise da exposição de um banco no exterior.

"Por mais que o BC tente mudar alguma regra, não tem jeito, a tendência (de queda do dólar) continua. Essas medidas não surtiram muito efeito porque os bancos têm exposição vendida em dólar mas não chegam no limite", explicou Paulo Fujisaki, analista de mercado da corretora Socopa.

"O ponto-chave ainda é o superávit financeiro, (de investidores) fazendo arbitragem em cima de juro, e o comercial", acrescentou. "Não tem como remar contra a maré."

Analistas ponderaram que, como a exposição incide sobre o patrimônio líquido, o efeito maior será sentido por bancos pequenos. Mas os ajustes que esses bancos farão em suas posições têm pouco impacto no mercado.

"Os grandes bancos têm uma folga, eles estão com grandes posições vendidas em dólar só que têm patrimônio muito mais alto", afirmou Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora.

Segundo ela, o efeito das medidas do BC deve ser visto na velocidade de queda do dólar, que poderá diminuir. "Talvez não tenha tanto fôlego para ir a 1,80 (real) como alguns economistas imaginavam", completou.

O Banco Central fez leilão de compra de dólares no mercado à vista e aceitou ao menos 10 propostas nesta sessão, mas a operação não foi suficiente para enxugar o excesso de liquidez no câmbio.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA
“Tentei socorrer ele, mas não deu certo”: conta filho de motociclista levado por enxurrada
FURIA DA NATUREZA
Enxurrada derruba casa e provoca pânico e destruição
NOVELA GLOBAL
Gabriel e Valentina viram inimigos mortais em 'O sétimo guardião'
REALITY SHOW
BBB 19 começa hoje. Na Rocinha Casa de Darnrley vira "QG" de Torcida
POSSE DE ARMAS
Bolsonaro assina nesta terça-feira decreto que facilita posse de armas
HEROINA
Professora Helley, que salvou crianças de incêndio em Janaúba, é homenageada e dá nome a rodovia
FAMOSIDADES
Doente, José Mayer foi esquecido pela Globo e abandonado por ‘Amigos’
NOVA LEI
Motoristas condenados por contrabando vão perder a CNH por cinco anos
SUCATA
Jovem transforma pneus velhos em lindas caminhas para pets.
ENTRETENIMENTO
Com direito a uniforme e crachá, “cão frentista” viraliza e ganha milhares de fãs