Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 18 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Colombianos fogem da guerrilha e vêm para o Brasil

29 Mar 2007 - 15h15

Oito por cento dos colombianos estão vivendo longe de casa por causa do conflito armado que atinge o país. Entre os que escolhem buscar abrigo em outra nação, o Brasil é, cada vez mais, uma opção de vida. Por causa da proximidade com a Colômbia, o estado do Amazonas recebe muitos desses estrangeiros.

 

Segundo a Organização das Nações Unidas, existem mais de três milhões de colombianos afastados de casa para fugir de áreas atingidas pelos conflitos armados e pela ação da guerrilha ligada ao narcotráfico. Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (29) pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha mostra que, em 2006, aumentou em mais de 21% o número de pessoas atendidas pelo programa de assistência da entidade que cuida dos casos de deslocamento interno no país.

Os principais motivos para as fugas de regiões de conflito são as ameaças de morte e os confrontos armados. Também há muitos casos de pessoas que se recusam a colaborar com os guerrilheiros.

Por esses motivos, muitos colombianos buscam abrigo no Brasil. O Amazonas é um dos estados que recebe os refugiados. As famílias se instalam em pequenas cidades da fronteira ou vão para a capital. Os maiores desafios são encontrar trabalho e casa.

Oficialmente, o governo brasileiro afirma que existem 222 refugiados colombianos vivendo legalmente no Brasil. Mas o número é ainda maior porque muitos trazem as famílias e outros amigos que permanecem no país em situação irregular.

Para o colombiano Fred Ortiz, a mudança para o Brasil significa um recomeço. Ele foi vereador por três anos em Saravena, no Nordeste da Colômbia. Ortiz não cumpriu orientações das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), foi ameaçado de morte e foi obrigado a abandonar tudo. "Fui forçado, mas desde que cheguei aqui senti uma sensação de liberdade, de descanso."

Jean, o filho mais velho, ainda lembra dos dias de agonia. "Além do que a gente sofreu, também vimos muitos conhecidos que também tiveram prejuízos e tiveram familiares foram mortos. Por isso tomamos a decisão de vir pra cá."

 

G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

O REI ROBERTO CARLOS
Roberto Carlos vestiu rosa e se mostrou contrário a projeto de Jair Bolsonaro
BRIGA NO PLANALTO
Magoado e traído, Bebianno não vai poupar filho de Bolsonaro
TRÁGICO
Mãe do piloto de Ricardo Boechat morre três dias após o filho
OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário
HORARIO DE VERÃO
Atrase seu relógio! Horário de verão termina neste sábado(16)
CARCERE PRIVADO
Mulher é chicoteada com fio elétrico pelo marido