Menu
SADER_FULL
terça, 20 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

CNJ e TJMS desenvolverão projeto-piloto em MS

13 Ago 2010 - 15h31Por TJ MS

Dois juízes auxiliares da presidência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Daniel  Issler e Sidmar Martins, estiveram em Campo Grande ontem (12) para as primeiras articulações de um projeto que será realizado pelo CNJ nos dias 23 e 24 de outubro: Cidadania, Direito de Todos.
 
Em um dia de trabalho considerado produtivo, os juízes reuniram-se com o Des. Josué de Oliveira, Corregedor-Geral de Justiça, com os juízes auxiliares da Corregedoria, Fábio Possik Salamene e Ruy Celso Barbosa Florence; com os juízes auxiliares da presidência do TJMS, Vitor Guibo e Marcelo Rasslan, e o juiz auxiliar da vice-presidência, Marcos Brito.
 
Também estiveram com os representantes do CNJ José Carlos Tinarelli, superintendente do MTE/MS; Paulo Pedra, presidente da  Anoreg; Edson Fagundes, coordenador regional da Funai; Mirian Noronha, procuradora-chefe do INSS, e à tarde, com Wantuir Jacini, secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).
 
De todas as tratativas, Issler considera as parcerias o mais importante – para ele, todo o resto é questão de logística. “Avançamos muito, pois essa ação vem com força para levar a cidadania aos povos indígenas, por meio dos documentos. Campo Grande será um piloto, por ser a primeira localidade em que essas ações serão efetivadas, mas já temos informações que Dourados também tem um grande números de indígenas e não descartamos a possibilidade de atuarmos lá  nesta forma de trabalho”, disse ele.
 
O projeto Cidadania, Direito de Todos visa levar a cidadania, como o próprio nome diz, às comunidades indígenas com a disponibilização de certidões de nascimento, carteira de identidade e carteira de trabalho. Em Campo Grande existem cinco aldeias urbanas: Água Bonita, Darci Ribeiro, Marçal de Souza, Tarsila do Amaral e Indubrasil. Nestas aldeias vivem entre oito e dez mil indígenas e estima-se que um números entre 1.500 e 3.000 não tenham os documentos.
 
Issler fez questão de ressaltar que as ações não devem afetar a identidade cultural indígena e que estas não poderiam ser desenvolvidas se não houver parceria com os povos indígenas. “Tanto no RG quanto na certidão constará a informação de qual aldeia e a qual etnia a pessoa pertence. E ações dessa natureza só podem ser desenvolvidas se houver vontade da parte dessas pessoas, porque algumas aldeias preferem manter-se isoladas e temos que respeitar suas peculiaridades”, completou.
 
Para o juiz Ruy Celso Barbosa Florence, a medida é um avanço por permitir que qualquer indígena seja reconhecido e registrado como um cidadão brasileiro. “Além disso, o fato de a etnia constar na certidão permite que usufruam dos direitos e garantias que a cidadania brasileira confere, sem perder suas raízes culturais”, aponta.
 
O juiz Fábio Possik Salamene explicou que nos dias 23 e 24, as ações serão desenvolvidas em dois pontos próximos das aldeias e que haverá juízes a postos para dirimir quaisquer questões relacionadas com os registro. “Estaremos estendendo à população indígena, que vive próxima dos centros urbanos, os  direitos inerentes à cidadania e isso é fundamental”, conclui.

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 VERBAS
Emissão de CPF e restituição do IR podem ser suspensas pela Receita
100 PENA
'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
ACIDENTE TRÁGICO
Morte de três profissionais em acidente comove a cidade
100 TETO
Na busca por emprego, homem 'mora' em abrigo de papelão
PÂNICO NO ÔNIBUS
Atirador de Elite mata homem que fez reféns em ônibus
AGORA DEU MEDO
Velório é interrompido após morto 'apertar' mão da esposa
TRAGEDIA NA RODOVIA
Três pessoas morrem em acidente envolvendo carro e caminhão na BR-277
FATALIDADE
Jovem mulher morre ao levar choque usando o secador de cabelos
ABSURDO - BRASIL
Mulher mata o marido a facadas e leva pênis para a amante dentro de um copo
MORTE E COMOÇÃO
Jovem caminhoneira morre em acidente e comove colegas de toda a região