Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 12 de novembro de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Chuva compromete safra de algodão no Mato Grosso

19 Jul 2004 - 16h28
As lavouras de algodão do município de Campo Novo do Parecis (a 397 quilômetros de Cuiabá), no Mato Grosso, apresentam redução de cerca de 20% a 25% na produtividade da safra atual, segundo o produtor Odenir Ortolan. Chuvas na época do desenvolvimento da planta e no final do ciclo - durante a abertura das maçãs, de onde saem as plumas - comprometeram o rendimento estimado de cerca de 240 arrobas de algodão com caroço por hectare (ha). Para o ciclo 2003/04, a área plantada na região praticamente dobrou passando de 17 mil ha, para atuais 33 mil ha.

Por enquanto, as expectativas são de manutenção da área para a próxima safra no município. "Em abril tivemos muita chuva e colhendo há mais de trinta dias já temos noção da quebra de rendimento das lavouras", aponta Ortolan.

Em outra região produtora do Estado, a Centro-Sul, que concentra 61% da produção, o presidente o Núcleo Centro, da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Benjamim Zandonade, explica que nas proximidades de Campo Verde, onde planta, as chuvas têm sido localizadas e de intensidades variadas. "Colhemos cerca de 35% da região, e por isso ainda não é possível mensurarmos se teremos e de quanto será a nossa perda", analisa Zandonade.

O que está confirmado, inclusive pelo presidente da Ampa, João Luiz Ribas Pessa, é que a coloração da pluma será afetada com as chuvas que já foram registradas no Estado. "Haverá uma alteração na qualidade sim, mas nada que impeça o cumprimento dos contratos", frisa.

Pessa explica que mesmo os contratos firmados para um tipo específico de pluma e pelo fato da perda de qualidade "estética" - por conta da chuva, sem culpa do produtor -, pode se aplicar no momento da entrega um deságio. "Por isso não temos esta preocupação de rompimentos por parte do comprador. O valor travado antecipadamente será mantido, e se necessário, depreciado", salienta.

Zandonade completa que alguns contratos levam em consideração essas possibilidades e confirma que descumprimentos não serão registrados.

Na região Centro, que abrange além de Campo Verde, Jaciara, Dom Aquino e Chapada dos Guimarães, a colheita levará mais um mês para finalizar os 74 mil ha plantados. "O que registramos aqui foram chuvas em lavouras sem maturação suficiente para serem colhidas. E chuva seguida de sol torna praticamente inexpressivos os danos", revela Zandonade.

A queda da cotação das últimas duas semanas em cerca de 10%, ou, aproximadamente US$ 0,05 por libra-peso, segundo Zandonade é esperada neste momento de safra, e também pelo bom desempenho das lavouras americanas que devem aumentar os estoques mundiais. "É uma pressão normal". Em função da baixa no mercado, o processo de vendas antecipadas para 04/05 encontra-se desaquecido. Pessa explica que para exportação existem 150 mil toneladas (t) contratadas no Estado e para o mercado interno cerca de 50 mil t.
 
 
Diário de Cuiabá

Deixe seu Comentário

Leia Também

INVICTO
Com gol de bicicleta, Grêmio afunda Chapecoense e emplaca quinta vitória seguida
MOBILIZAÇÃO
Energia solar reduz custos para todos os consumidores
NOVELA GLOBAL
A Dona do Pedaço: Camilo flagra vacilo de Vivi e desconfia de fuga com Chiclete
EX PRESIDIÁRIO
Lula fez pedido a Huck ao saber que era dono do jatinho fretado
CHAMAR A ATENÇÃO
Mulher tira fotos sem roupa em estrada e causa confusão na net - FOTOS
TRAGÉDIA
Homem e bebê seis meses morrem após carro cair de ponte, quatro feridos
FAMOSIDADES
Camila Pitanga vive seu primeiro namoro com uma mulher; 'muito feliz', diz amiga
GERAÇÃO DE EMPREGOS
Saiba o que está previsto no pacote do emprego que será anunciado nesta 2ª feira
FINAL FELIZ
Zé Hélio e Beatriz se casam em 'A dona do pedaço'
FEMINICIDIO
Homem é preso acusado de matar namorada de 16 anos após crise de ciúmes