Menu
SADER_FULL
quinta, 21 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
DR. SHAPE
Brasil

Cesta básica individual teve alta de 2,59% em outubro

4 Nov 2004 - 14h23
Os preços dos 15 alimentos necessários para a sobrevivência de uma pessoa durante um mês tiveram, em outubro, uma alta de 2,59% em relação ao mês anterior. A cesta básica alimentar (individual) custou R$ 145,38 em outubro para o consumidor campo-grandense.

A informação está no relatório da pesquisa da cesta básica divulgado nesta quinta-feira pela Seplanct (Secretaria de Estado de Planejamento e de Ciência e Tecnologia). A pesquisa da cesta básica é realizada mensalmente pela Seplanct em parceria com a Unaes - Faculdade Campo Grande.

A variação acumulada nos últimos seis meses é de 0,67%, no ano é de 2,21% e nos últimos doze meses de 4,67%.

Em outubro, sete dos 15 alimentos analisados pela pesquisa registraram alta em seus preços. Ficaram mais caros no mês passado: feijão (15,42%), alface (11,10%), laranja (10,98%), pão (5,31%), carne (3,63%), açúcar (1,94%) e leite (0,88%).

Os preços dos outros oito itens pesquisados sofreram redução: batata (-10,40%), banana (-6,55%), sal (-3,85%), arroz (-3,58%), margarina (-2,74%), macarrão (-1,61%), óleo (-1,20%) e o tomate (-0,89%).

Cesta básica familiar – A Seplanct também divulgou nesta quarta-feira o relatório da cesta básica familiar. Diferentemente da cesta individual, que monitora preços de 15 produtos alimentares essenciais para a sobrevivência de uma pessoa ao longo de um mês; a cesta básica familiar mede o impacto de 44 produtos (32 alimentos, 5 produtos de higiene pessoal e 7 de limpeza doméstica) no orçamento de uma família de 5 pessoas com renda de cinco salários mínimos.

De acordo com o relatório, houve um quadro de relativa estabilidade dos preços pagos pelo consumidor para levar para casa os 44 produtos em outubro. A cesta básica familiar custou R$ 708,59 no mês passado – uma variação de 11 centavos (0,02%) em relação a setembro.

Dos 44 produtos, a pesquisa constatou que 22 itens apresentaram elevações de preços. Os preços da cera em pasta (18,86%), do feijão (15,37%) e da mandioca (15,54%) sofreram os aumentos mais expressivos. 21 produtos, segundo a pesquisa, ficaram mais baratos. É o caso da batata (-10,31%), da lâmina de barbear (-9,59%) e da couve (-8,52%). A farinha de trigo foi o único dos 44 itens pesquisados cujo preço não sofreu alteração.

O coordenador de Estudos Sócio-Econômicos da Seplanct, Jocimar Lomba, atenderá jornalistas interessados em outras informações sobre os preços da cesta básica a partir das 15h desta quinta-feira. O telefone para contato é o 67-318-4020.
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Terceiro homem que assediou russa na Copa diz que “estão transformando um copo d’água em uma tempestade”
‘Alta Pressão’
Exército deflagra Operação para fiscalizar armamento e reduzir desvios para o comércio ilegal
COLÉGIO DELPHOS - BOLSAS DE ESTUDOS
Colégio Delphos Nota 10 oferece provas para bolsas de estudos neste sábado em Dourados
UNIPAR - EAD - DOURADOS
Unipar EAD com pós-graduação e 25 cursos a distância com mensalidade acessíveis agora em Dourados
PENSÃO ALIMENTÍCIA
Genro de Silvio Santos é procurado por Policia Federal após mandado de prisão
APOCALIPSE
Arthur (Junno Andrade) fala na TV do ataque ao navio de fugitivos e das consequências da erupção de
POLÊMICA
Projeto quer liberar venda direta de etanol das usinas aos postos
FÁTIMA DO SUL - ESTRUTURA NOVA
Fátima do Sul terá um novo conceito de lojas Cacau Show, AGUARDEM!!!
DOURADOS - ITALÍNEA MÓVEIS PLANEJADOS
Em Dourados, Italínea Móveis Planejados dá dicas para deixar sua casa pronta para o inverno
APOCALIPSE
Ricardo (Sérgio Marone) autoriza que um navio de fugitivos seja bombardeado