Menu
SADER_FULL
domingo, 25 de agosto de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Cerca de 200 mil bancários estão em greve em todo país

18 Set 2004 - 07h32
São Paulo – Cerca de 200 mil bancários – quase metade da categoria – fizeram greve em todo o país nesta sexta-feira, segundo balanço da Confederação Nacional dos Bancários (CNB). Dezoito capitais aderiram à mobilização, iniciada na última terça-feira em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Florianópolis. O movimento também cresceu no interior do país, especialmente nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

No final da tarde de hoje, a CNB/CUT e o Sindicato dos Bancários de São Paulo enviaram ofício à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) reforçando a rejeição da proposta e solicitando a reabertura das negociações. A CNB afirma que a Fenaban concordou em reabrir o processo e ficou de marcar uma nova rodada de conversas na próxima semana, mas a entidade dos bancos nega a informação.

Em São Paulo, cerca de 25 dos 106 mil bancários da Capital, de Osasco e região não trabalharam nesta sexta-feira, paralisando 340 agências de bancos públicos e privados. Após passeata na tarde de nesta sexta-feira, os bancários de São Paulo decidiram permanecer em greve na segunda-feira.

No Rio de Janeiro também houve passeata e a greve foi aprovada. Todas as agências da capital fecharam as portas, somente o Bradesco permaneceu aberto por força policial. Em Brasília, 95% das agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil não funcionaram. Domingo haverá nova assembléia. As demais cidades realizam assembléia agora à noite para decidir sobre a continuidade da paralisação. As cidades que não aderiram ao movimento farão assembléias na segunda-feira.

Os bancários reivindicam reposição da inflação mais aumento real de 17,68% e Participação nos Lucros e Resultados de um salário mais R$ 1.200. Os banqueiros oferecem reajuste salarial de 8,5% mais R$ 30 para quem ganha salários até R$ 1.500 – o que representa reajuste de até 12,77% e aumento real de 5,75%. Para os que ganham acima de R$ 1.500, o reajuste sugerido é de 8,5%, assim como para as demais verbas de natureza salarial como vales alimentação, refeição e auxílio-creche. A proposta, rejeitada, prevê Participação nos Lucros e Resultados de 80% do salário mais R$ 705 e pagamento de vale-alimentação extra de R$ 217.
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção