Menu
PASSARELA
segunda, 25 de junho de 2018
SADER_FULL
Busca
DR. SHAPE
Brasil

Censo descobre 13 mil novas espécies marinhas

23 Nov 2004 - 07h59

Cientistas de mais de 70 países unidos em um projeto para estudo dos animais oceânicos anunciaram que cerca de 13 mil novas espécies de organismos marinhos foram descobertas no último ano. Os cientistas se uniram no chamado Censo da Vida Marinha, que, além das espécies, também descobriu rotas até agora desconhecidas de migração de alguns animais marinhos, como o atum e o tubarão.

O projeto de dez anos, iniciado no ano 2000, com custo de US$ 1 bilhão, tem como objetivo criar um grande banco de dados sobre as espécies para, assim, facilitar a criação de políticas de conservação e para o setor pesqueiro.

Com as novas espécies encontradas nos últimos 12 meses, o banco de dados tem agora mais de 5,2 bilhões de registros de localização, data e profundidade sobre as espécies encontradas. Todas essas informações permitiram ao censo construir um mapa completo com a distribuição geográfica de 38 mil espécies, de espécies de plâncton a baleias.

Muito a descobrir
Dados de várias regiões oceânicas ainda não foram compilados. Mas informações vindas só de uma delas, a do Atlântico Central, indicaram a existência de 80 mil espécies.

O total de espécies de peixes marinhos encontradas até agora é de 15.482. Estudiosos acreditam que, até que o censo seja completado, em 2010, esse total chegue a cerca de 20 mil.

Mas a quantidade de peixes não se compara à de organismos microscópicos. O banco de dados já inclui mais de 6,8 mil espécies de zooplâncton.

Ron O'Dor, o cientista-chefe do censo, disse que tudo que já foi descoberto é apenas um começo. "Nós sabemos algo sobre (as espécies que habitam) os primeiros 100 metros até agora, mas não sabemos quase nada sobre o que há nas profundezas", disse ele.

"Nossa análise mostra que, se você encontrar um peixe que vive a mais de 2 km de profundidade, a chance de que ele não tenha sido catalogado é maior do que 50%".

Áreas circulares
Algumas espécies são só trazidas à superfície em redes especiais, contadas e catalogadas. Outras recebem mecanismos de rastreamento e têm seus hábitos migratórios estudados. O resultado do estudo é um quadro da dinâmica da vida marinha, que está começando a surgir.

"Em alguns dos resultados que obtivemos, é possível ver uma área circular que parece concentrar a vida em grandes profundidades", disse Fred Grassle, o presidente do comitê diretor internacional do censo. "Essas áreas circulares têm 10 km de diâmetro e estão milhares de metros abaixo da superfície."

 
 
Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

REVOLTANTE
O Brasil que escreve sua história com sangue de crianças
FINAL
Saiba qual será o final surpreendente de Apocalipse na Record
ENTRETENIMENTO - SAÚDE
Padre Fábio de Melo sofre da síndrome do pânico e fala como administra a doença
NOVELA GLOBAL
'Segundo Sol': Laureta revela para a família de Rosa que ela é prostituta
GOVENO NÃO CUMPRE
Caminhoneiros anunciam nova paralisação, mas trabalhadores de MS não devem participar
RAIVA HUMANA
Morte de turista por raiva humana é confirmada em Ubatuba
NOVELA GLOBAL
Valentim sofre grave acidente de carro
INACEITAVEL
Mãe de jovem morto no Rio: “É um Estado doente que mata criança com roupa de escola”
HAJA CORAÇÃO
Neymar é o autor do gol mais tardio, em tempo normal, de uma Copa na história
COPA DO MUNDO
No sufoco, Brasil supera a Costa Rica e consegue primeira vitória na Copa do Mundo