Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Carteira de Trabalho pode transformar em documento completo

23 Ago 2004 - 14h13
A Comissão de Assuntos Sociasi (CAS), deve votar nesta terça-feira (24), a partir das 11h, em turno suplementar, substitutivo do senador Aelton Freitas (PL-MG) a projeto do senador João Alberto Souza (PMDB-MA) que obriga o empregador a registrar na Carteira de Trabalho o número de inscrição do empregado como segurado obrigatório do Regime Geral da Previdência Social, além de outros dados, a exemplo de informações contidas na Carteira de Identidade. O objetivo da proposta (PLS nº 27/03) é transformar a Carteira de Trabalho em um documento completo.

Consta ainda da pauta da CAS a apreciação de outro substitutivo, também em turno suplementar, desta vez de autoria do senador Juvêncio da Fonseca (PDT-MS), a projeto do então senador Casildo Maldaner (PLS nº 203/02) que tem por objetivo incentivar a inserção dos jovens no mercado de trabalho, por meio da diminuição do custo da contratação temporária por prazo determinado para os jovens entre 18 e 25 anos.

A CAS, presidida pela senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), deve apreciar ainda em turno suplementar substitutivo do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) a projeto (PLS nº 52/02) do então senador Lauro Campos, já falecido, que estende o seguro-desemprego  por um período máximo variável de 4 a 6 meses. Pelo projeto original, o benefício seria de 10 meses.

De acordo com o Regimento Interno, sempre que for aprovado substitutivo a projeto de lei em turno único, será submetido a turno suplementar, e não sendo oferecidas emendas na discussão suplementar, o referido substitutivo será dado como definitivamente adotado sem votação.

Constam da pauta ainda oito projetos com decisão terminativa, mas essas matérias não poderão ser votadas devido ao trancamento da pauta do Plenário. Entre esses projetos, está o de número 24/04, de autoria do senador Romeu Tuma (PFL-SP), que obriga os fabricantes de medicamentos a imprimirem as bulas de remédios em letras maiores e cujas dimensões permitam a leitura fácil por parte dosa consumidores. Segundo o senador, as letras impressas na maioria das bulas são tão pequenas que  chegam a causar dificuldade até para quem não usa óculos.

 

 

Agência Senado

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho