Menu
SADER_FULL
quarta, 19 de junho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Caos marca chegada da seleção em São Paulo

27 Jul 2004 - 07h13
Bastaram pouco mais de 500 torcedores para o caos se instaurar no Aeroporto de Cumbica, nesta noite de segunda-feira, no desembarque dos jogadores da seleção brasileira, campeã da Copa América.

Graças à falta de organização do aeroporto e da CBF, somado ao despreparo dos policiais, os jogadores se viram sufocados e prensados pelos torcedores. O clima caótico ficou ainda pior com a chegada de outros vôos internacionais no terminal 2 de Cumbica.

Os jogadores tiveram de esperar por dez minutos até a liberação do portão para uma pretensa 'organização' do ambiente. Mas o que se viu após a liberação foram vários torcedores pulando sobre grades, policiais empurrando fotógrafos e jornalistas, e os jogadores sendo esmagados nos cantos do aeroporto.

'Não esperava. Está difícil', disse o meia Alex, enquanto tentava se desvencilhar dos torcedores e conseguir sair do aeroporto. O atacante Luís Fabiano teve a camisa rasgada e teve de trocá-la ainda no local, quando mostrou as costas cheia de arranhões.

Apesar disso, o jogador não escondeu a alegria. 'É mais difícil sair da marcação argentina do que receber o apoio dessa galera. Estou feliz', explicou, enquanto era levantado pelos torcedores sob os gritos de Fabuloso. Para ele, a recepção foi uma mostra de sua recuperação. 'Ajudou a levantar minha moral', desabafou.

O meia Renato ficou espantado com o que viu em Guarulhos. 'Não esperava tudo isso, o pessoal ficou bastante animado e podem comemorar', afirmou. Com fraca atuação no Peru, o lateral Mancini destacou o apoio do torcedor. 'É uma recepção calorosa e importante para mostrar nosso valor', avaliou.

Bastante assediado pelos torcedores, o lateral Gustavo Nery deixou o local sob proteção de quatro policiais, que cercavam o atleta. 'Estou impressionado e surpreso. Não esperava esta recepção', apontou o jogador, que agora defenderá o Werder Bremem, da Alemanha.

Já o zagueiro Bordon contrastava do restante dos jogadores. 'Ganhar da Argentina e não esperar uma recepção dessas é sonhar. A gente sabe como é o povo brasileiro e sabia que ia ser assim', disse. Para ele, o modo como foi a conquista inflamou a torcida. 'Por tudo que passamos, o povo deu o valor real à conquista e veio nos prestigiar', encerrou.

 

Gazeta Esportiva

Deixe seu Comentário

Leia Também

ATAQUE CANINO
Criança de dois anos é morta no quintal de casa por cachorro rottweiler
INFANTICIDIO
Padrasto teria sentado em cima da cabeça de bebê que morreu,foi espancado na cadeia
SOB INVESTIGAÇÃO
Jornalista do site Lei Seca Maricá foi assassinado com 3 tiros
VIDA SEDENTARIA
OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular
HOMICIDIO X SUICIDIO
Pai que matou o filho de 4 anos e se matou não se conformava com namoro da ex-mulher
DOENÇA DO SÉCULO
Jovem de 19 anos, com depressão comete suicídio e comove amigos
ASSASSINATO CRUEL
O massacre do menino Rhuan e o silêncio da grande mídia
FAMOSIDADES
Homem discute com mulher e mata bebê de quatro meses
SOLIDARIEDADE
Bebê nasce sem os olhos e mobiliza cidade do Paraná
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Pai mata filho de quatro anos e se mata por não aceitar fim do relacionamento