Menu
SADER_FULL
terça, 25 de setembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Campanha nacional contra câncer de pele será no sábado 4

29 Nov 2004 - 07h24
A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) realiza no dia 04 dezembro, das 9 às 15h, a 6ª edição da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, que este ano terá como principal alvo as crianças.

Serão oferecidos gratuitamente exames completos da pele e orientações sobre os principais cuidados com a exposição solar, prevenção e detecção precoce da doença. Além disso, casos de diagnóstico positivo serão encaminhados para tratamento ou cirurgia.

Serão 165 postos espalhados por todo o País - incluindo algumas cidades no interior dos estados – que contarão com o atendimento de cerca de mil dermatologistas voluntários, cadastrados pela SBD. Trata-se da maior campanha de prevenção contra o câncer de pele realizada no Brasil. Em Mato Grosso do Sul os atendimentos serão realizados em Campo Grande, Dourados e Três Lagoas.

A expectativa este ano é de atender 50 mil pessoas, superando o movimento do ano passado, quando foram atendidas aproximadamente 38 mil pessoas. Destas, 26.332 (69,6%) declararam não usar nenhuma proteção solar. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de pele é o de maior incidência no Brasil e, para este ano, estão previstos 86.525 novos casos. A doença atinge mais homens que o câncer de próstata ou de pulmão em muitas capitais do Brasil. E até mesmo as pessoas de pele negra, ao contrário do que se pode pensar, podem desenvolver o câncer de pele.

A campanha faz parte do Programa Nacional de Controle do Câncer de Pele e é muito importante para a Sociedade Brasileira de Dermatologia, pois neste dia serão coletadas informações sobre os pacientes atendidos em todo o Brasil. A partir daí, a SBD poderá elaborar um novo mapa da doença no país, identificando as regiões de maior incidência, o fototipo (tipo de pele) e o sexo e a idade das pessoas atingidas. As informações produzidas pela SBD são referência para outras ações no combate ao câncer de pele no país.


Proteção na infância - A campanha deste ano está voltada para a proteção durante a infância. O presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Marcio Rutowitsch, informa que, se os cuidados forem intensificados até os 18 anos de idade, as chances de a doença se desenvolver são reduzidas em até 85%.

“O efeito nocivo do sol sobre a pele é observado na idade adulta, pela ação cumulativa da radiação solar. E a maior parte do dano causado por ele ocorre precocemente na infância e adolescência. No caso da exposição saudável e aconselhável ao sol durante a infância, poucos minutos, mesmo indiretamente, algumas vezes por semana, são suficientes para a síntese adequada de vitaminas”, enfatiza Márcio Rutowitsch.

Crianças ou adolescentes de pele, cabelos ou olhos claros, com sardas, que se queimam mais do que se bronzeiam, ou com casos de câncer de pele na família, fazem parte do fototipo de risco.


Alguns cuidados:

- crianças até seis meses não devem ser expostas diretamente ao sol;
- crianças com mais de seis meses devem se expor ao sol com proteção em qualquer horário do dia;
- a aplicação do filtro solar deve ser diária, em todas as áreas descobertas, incluindo orelhas e pescoço;
- todos os filtros solares devem ser aplicados 30 minutos antes da exposição (camada espessa) e reaplicados a cada duas horas, após entrada na água ou transpiração excessiva - normalmente, o fator 15 já é suficiente, reduzindo em 94% a absorção dos raios UV pela pele.


Estatística - Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), estão previstos para este ano 86.525 novos casos de câncer de pele no Brasil. A exposição solar acumulada durante a vida está entre os fatores que podem levar a três tipos da doença - os carcinomas basocelulares, os carcinomas espinocelulares e o melanona. O primeiro caso é o mais freqüente. Apesar de não causar metástase, pode destruir os tecidos à sua volta, atingindo até cartilagens e ossos.

O carcinoma espinocelular é o segundo tipo mais comum de neoplasia de pele. Pode disseminar-se por meio de gânglios e provocar metástase. No entanto, segundo o presidente da SBD, Márcio Rutowitsch, apesar do grande número de casos, o câncer de pele não-melanoma apresenta altos índices de cura devido à facilidade do diagnóstico precoce.

O melanoma é o câncer de pele mais perigoso e apresenta alto potencial de produzir metástase, podendo levar à morte se não houver diagnóstico e tratamento precoces. É causado por fatores genéticos, mas pode ser desencadeado pela exposição inadequada ao sol, mais freqüente em pessoas de pele clara e sensível. A maior incidência de neoplasias de pele se dá nas regiões da cabeça e do pescoço, que ficam diretamente expostas aos raios solares.


Serviço

Locais de atendimento em Mato Grosso do Sul

Campo Grande
Hospital Universitário - avenida Senador Filinto Müller, S/N - Cidade Universitária

Três Lagoas
Centro de Especialidades Médicas - avenida Clodoaldo Garcia, 280 - Santos Dumont

Dourados
Centro de Saúde Tipo A - rua Dr. Camilo Hermelindo, 975 - Centro


Mais Informações pelo telefone: (67) 9982-7288
 

APN

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
Em 'Segundo sol', Maura fala sobre transar com homem: 'Detestei'
CORRIDA SUCESSÓRIA
Ibope mostra Bolsonaro estagnado com 28% e Haddad cresce 3 pontos e vai a 22%
FUTEBOL
Pela sexta vez Marta é eleita a melhor jogadora do mundo
FUGA FRACASSADA
Tentativa de fuga termina com agente de cadeia e detentos feridos
ASSASSINATO
Por quebrar "pacto de sangue" homem é assassinado juntamente com amigo
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Mistérios sobre passado de Karola começam a ser revelados
CORRIDA PRESIDENCIAL
Haddad continua disparada em pesquisa do BTG e se consolida no 2º turno
CASAL BRUMAR
Bruna Marquezine e Maraina Ruy Barbosa se afastam e climão na Itália alerta internautas
MARIA DA PENHA
Após deixar hospital, mulher esfaqueada pelo ex diz: 'Não deixe passar em vão'
CAPITULO FINAL
Saiba tudo que vai acontecer no fim de 'Orgulho e paixão'