Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Câmara vai analisar resposta de Bernal para decidir se inicia cassação a pedido do Sisem

16 Set 2013 - 15h49Por Mídia Max

A Câmara de Campo Grande recebeu na manhã desta segunda-feira (16) uma resposta do prefeito Alcides Bernal (PP) sobre o pedido de cassação do mandato dele, feito pelo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Campo Grande (Sisem), Marcos Tabosa. A resposta ainda refere-se ao primeiro pedido feito por Tabosa, via Sisem, que foi rejeitado pelos vereadores.

O pedido foi rejeitado porque Tabosa apresentou via Sisem, o que não é permitido, já que a comissão processante só pode ser aberta via pessoa física ou a pedido de um vereador. Nesta segunda-feira Marcos Tabosa apresentou novo pedido, desta vez como pessoa física. Com isso, a Câmara vai analisar a resposta do prefeito para ver qual o encaminhamento a ser dado.

Seguindo o regimento da Câmara, a Procuradoria Jurídica tem cinco dias para emitir parecer se aconselha ou não os vereadores a abrirem a comissão processante. Com o parecer, a votação vai para o plenário, onde com maioria, em um quórum mínimo de 15 vereadores, decide-se por abertura ou não da cassação.

A semana será decisiva para o prefeito, que além do Sisem, pode sofrer um novo pedido de abertura de comissão processante por meio da CPI do Calote. O relator da CPI, Elizeu Dionízio (PSL), está fechando o relatório, mas já antecipou há vários dias que vai pedir a abertura de uma comissão processante.

Diferente de uma CPI, onde os vereadores têm que ter objeto específico, a comissão processante pode ser aberta para um fim e modificada conforme as denúncias. Neste caso, os vereadores podem incluir em uma única comissão os pedidos da CPI do Calote e do Sisem. Aprovada a comissão, o presidente realiza um sorteio para definir os três integrantes.

O presidente do Sindicato dos Servidores acusa Bernal de se apropriar indevidamente de cerca de R$ 700 mil da instituição para impedir que ele possa defender os filiados. “Uma forma de deixar o sindicato sem caixa e impedir que a gente faça nosso trabalho, que faça ações judiciais contra a prefeitura e as irregularidades cometidas com os servidores”. Já o prefeito alega que deposita a contribuição em juízo, visto que há outros sindicatos requisitando a verba por entender que o Sisem não lhes representa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos