Menu
SADER_FULL
quarta, 16 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Caixa amplia prazo para quitar antigo crédito educativo

28 Out 2004 - 17h41
A CEF (Caixa Econômica Federal) ampliou de 12 para até 36 meses o prazo de parcelamento para quem deseja negociar a quitação do Creduc (Crédito Educativo), programa já extinto. O parcelamento terá descontos variáveis de até 90% conforme o prazo de amortização escolhido. A renegociação, que vai até o final de dezembro, não é válida para os alunos beneficiados pelo Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior), projeto posterior ao Creduc.

Os adimplentes terão até 90% de desconto sobre a dívida atual, enquanto os inadimplentes terão 80%, com descontos maiores para quitação à vista. Os contratos em prazo de carência terão 80% sobre a dívida atual, enquanto os contratos em utilização poderão ter 80%, desde que haja renúncia de novos acordos.

Os interessados deverão comparecer a qualquer agência da Caixa com os documentos pessoais (RG e CPF) e comprovante de residência. Não é necessária a comprovação de renda. Caso o contrato original possua fiador, será necessária a atualização dos dados do fiador e cônjuge, bem como a assinatura no acordo de parcelamento.

Quando a opção for o parcelamento, o estudante deverá assinar um acordo. Em caso de inadimplência de quaisquer cláusulas ou em decorrência de atraso superior a 90 dias no pagamento das parcelas renegociadas, o acordo será cancelado, voltando o contrato à situação original, com o saldo devedor descontado do valor já pago.

Em todo o Brasil, já foram liquidados ou renegociados 46.733 contratos de Crédito Educativo, com saldo devedor de 638,77 milhões --ainda há 145.363 contratos ativos, no valor de R$ 2,467 bilhões. A expectativa da Caixa é estender o benefício para cerca de 55% dos contratos ainda não negociados, justamente os que têm dívidas acima de R$ 10 mil.

Creduc

O Creduc foi criado pelo governo federal, em 1975, e institucionalizado em junho de 1992. A finalidade era atender ao estudante carente no custeio do primeiro curso de graduação em qualquer instituição de ensino superior privada. Até 1997 foram financiados cerca de um milhão de estudantes.

A partir de 1998 foram suspensas as contratações do Programa de Crédito Educativo e, por meio da Medida Provisória 1.827, foi criado o Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior), em vigor até hoje.
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA
“Tentei socorrer ele, mas não deu certo”: conta filho de motociclista levado por enxurrada
FURIA DA NATUREZA
Enxurrada derruba casa e provoca pânico e destruição
NOVELA GLOBAL
Gabriel e Valentina viram inimigos mortais em 'O sétimo guardião'
REALITY SHOW
BBB 19 começa hoje. Na Rocinha Casa de Darnrley vira "QG" de Torcida
POSSE DE ARMAS
Bolsonaro assina nesta terça-feira decreto que facilita posse de armas
HEROINA
Professora Helley, que salvou crianças de incêndio em Janaúba, é homenageada e dá nome a rodovia
FAMOSIDADES
Doente, José Mayer foi esquecido pela Globo e abandonado por ‘Amigos’
NOVA LEI
Motoristas condenados por contrabando vão perder a CNH por cinco anos
SUCATA
Jovem transforma pneus velhos em lindas caminhas para pets.
ENTRETENIMENTO
Com direito a uniforme e crachá, “cão frentista” viraliza e ganha milhares de fãs