Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 16 de setembro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Caixa amplia prazo para quitar antigo crédito educativo

28 Out 2004 - 17h41
A CEF (Caixa Econômica Federal) ampliou de 12 para até 36 meses o prazo de parcelamento para quem deseja negociar a quitação do Creduc (Crédito Educativo), programa já extinto. O parcelamento terá descontos variáveis de até 90% conforme o prazo de amortização escolhido. A renegociação, que vai até o final de dezembro, não é válida para os alunos beneficiados pelo Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior), projeto posterior ao Creduc.

Os adimplentes terão até 90% de desconto sobre a dívida atual, enquanto os inadimplentes terão 80%, com descontos maiores para quitação à vista. Os contratos em prazo de carência terão 80% sobre a dívida atual, enquanto os contratos em utilização poderão ter 80%, desde que haja renúncia de novos acordos.

Os interessados deverão comparecer a qualquer agência da Caixa com os documentos pessoais (RG e CPF) e comprovante de residência. Não é necessária a comprovação de renda. Caso o contrato original possua fiador, será necessária a atualização dos dados do fiador e cônjuge, bem como a assinatura no acordo de parcelamento.

Quando a opção for o parcelamento, o estudante deverá assinar um acordo. Em caso de inadimplência de quaisquer cláusulas ou em decorrência de atraso superior a 90 dias no pagamento das parcelas renegociadas, o acordo será cancelado, voltando o contrato à situação original, com o saldo devedor descontado do valor já pago.

Em todo o Brasil, já foram liquidados ou renegociados 46.733 contratos de Crédito Educativo, com saldo devedor de 638,77 milhões --ainda há 145.363 contratos ativos, no valor de R$ 2,467 bilhões. A expectativa da Caixa é estender o benefício para cerca de 55% dos contratos ainda não negociados, justamente os que têm dívidas acima de R$ 10 mil.

Creduc

O Creduc foi criado pelo governo federal, em 1975, e institucionalizado em junho de 1992. A finalidade era atender ao estudante carente no custeio do primeiro curso de graduação em qualquer instituição de ensino superior privada. Até 1997 foram financiados cerca de um milhão de estudantes.

A partir de 1998 foram suspensas as contratações do Programa de Crédito Educativo e, por meio da Medida Provisória 1.827, foi criado o Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior), em vigor até hoje.
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

MUNDO MEDONHO
'Pago boleto, compro calcinha': usuários de aplicativos de paquera relatam apuros e curiosidades
FAMOSIDADES
Belo sai de casa após flagrar traição de Gracyanne
ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber
ACIDENTE FATAL
Câmera de segurança registrou acidente fatal de enfermeira. VEJA O VÍDEO
MONSTRUOSIDADE
Homem que matou mãe e filha em Cascavel escreveu carta. Bebê tomou mamadeira “batizada”
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mulher e marido são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos que dormia na casa deles