Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 22 de agosto de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Bush e Kerry travam debate duro e equilibrado nos EUA

9 Out 2004 - 07h31
A Guerra do Iraque e a economia foram os pontos centrais do debate entre o candidato republicano, George W. Bush, e o democrata, John Kerry, nesta sexta-feira na Universidade Washington de Saint Louis, no Estado do Missouri.

Kerry, que desta vez pôde caminhar pelo palco e responder perguntas de espectadores --recursos inéditos até então--, abriu o debate dizendo que Bush mentiu sobre as armas de destruição em massa no Iraque.

"O presidente não encontrou armas de destruição em massa no Iraque, então ele está transformando sua campanha em uma arma de logro em massa", disse Kerry, citando também as taxas de desemprego nos EUA.

Repetindo o debate anterior, Kerry disse que Irã e Coréia do Norte --países assim como o Iraque a que Bush classificou como eixo do mal-- tornaram-se mais perigosos durante os quatro anos de governo do adversário.

"Confirmação"

Bush, que lutou para se recuperar do fraco desempenho do último debate de acordo com pesquisas, defendeu a guerra e fez questão de chamar Kerry de "vacilante" por votar a favor da guerra e depois ter mudado de opinião.

Por duas vezes, Bush citou o relatório de Charles Duelfer, divulgado nesta quarta-feira e que afirma, entre outras coisas, que o Iraque não tinha estoques de armas químicas e biológicas antes da invasão norte-americana do ano passado. Ele disse que o relatório apenas confirmou suas previsões de que o ex-ditador Saddam Hussein era uma ameaça.

Em sua defesa, ele disse: "Só descobrimos que não tinha armas de destruição em massa depois que chegamos lá".

Economia

Apesar de a maior parte dos eleitores americanos citar a situação no Iraque como sua maior preocupação, a economia também teve peso nesse debate.

Com uma política central de cortes de impostos que levou os EUA a déficits fiscais recordes, Bush acusou Kerry de taxar todos os americanos se for eleito.

Kerry atendeu ao pedido de um espectador e fez uma promessa para as câmeras afirmando que não vai taxar pessoas que ganhem menos de US$ 200 mil, que dará US$ 1.000 por cada filho e que reduzirá o déficit econômico pela metade no país.

"Não dá para acreditar na política fiscal conservadora se ele votou 98 vezes para aumentar os imposto em 20 anos no Senado", disse Bush.

Erros

Na última pergunta do debate, uma eleitora questionou Bush sobre quais os erros que ele considerava ter feito ao longo dos quatro anos no poder.

Bush não respondeu objetivamente e disse: "Sou humano, posso errar". Ele se referiu a pequenos erros, como a indicação de pessoas, e por afirmou: 'Se querem dizer que a guerra foi um erro, eu digo que a Guerra do Iraque foi uma decisão correta".

O debate foi o segundo dos três previstos antes da eleição. O encontro teve 90 minutos de duração. Dessa vez, os candidatos tiveram de responder perguntas de uma platéia de cerca de 120 pessoas, a maioria de eleitores indecisos. O terceiro debate está marcado para 13 de outubro em Tampa, no Arizona.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
Chiclete conta a Vivi a verdade sobre sua vida de matador em 'A dona do pedaço'
DUPLO ASSASSINATO
Vereador e filho foram assassinados dentro de casa
FATALIDADE
Menina de 7 anos é atacada por pitbull e morre na casa dos avós
CRIMINOSO FORAGIDO
Ataque com machadinha deixa alunos e professora feridos em escola
POLEMICA II
Após polêmica, deputado diz que não existe PL de poliamor ou casamento entre mães e filhos
CONFISSÃO
Filhos investigam e descobrem que pai matou a mãe há 37 anos
MAL SUBITO
Policial militar tem mal súbito e morre no mesmo dia que descobriu que seria pai
NOVELA GLOBAL
Régis oferece vender loja para dar dinheiro a Maria da Paz em 'A dona do pedaço'
POLÊMICA
Vale Tudo: projeto libera casamento entre mães e filhos e revolta MS
100 VERBAS
Emissão de CPF e restituição do IR podem ser suspensas pela Receita