Menu
SADER_FULL
segunda, 21 de maio de 2018
RIO_DOURADOS
Busca
DR. SHAPE
ECONOMIA

Brasileiro troca financiamento direto na loja por cartão de crédito

24 Jun 2010 - 05h21Por Diário MS

A pesquisa anual sobre crédito, realizada pela Fecomércio-RJ/ Ipsos, mostra que de 2009 para 2010 o financiamento direto na loja perdeu espaço para os cartões de crédito. Enquanto no ano passado 56% dos entrevistados parcelavam as compras com as lojas, apenas 26% dividiam no cartão. Neste ano, o pagamento a prazo inverteu: a loja é a opção de 37% e o cartão de 44%. O empréstimo pessoal em banco aparece em terceiro lugar sendo preferido por 16%. Empréstimo em financeira, consignado e nas lojas aparecem no fim da lista.

Esse comportamento foi impulsionado, principalmente, pelas classes C, D e E. Nesse período a participação da classe C que financia direto na loja caiu 26 pontos percentuais e a da classe D/E diminuiu 22 pontos. Em compensação subiu 17 e 20 pontos percentuais os que têm cartão de crédito nas classes C e D/E, respectivamente.

O avanço é resultado do crescimento do emprego formal, que contribui para o aumento da parcela dos brasileiros com conta bancária: 49% em 2010. Há um ano eram 36%. “Emprego e renda têm sido os pilares da evolução sustentável que vemos no crédito. Ao entrar no sistema bancário o brasileiro tem acesso a um volume maior e diverso de crédito. O reflexo disso no comércio vem sob a forma do aumento da intenção de compra que subiu 5 pontos percentuais de maio de 2009 para o mesmo período deste ano”, afirma João Carlos Gomes, coordenador do Núcleo Econômico e de Pesquisas da Fecomércio-RJ.

A relação positiva entre o bom desempenho do mercado de trabalho, a disseminação do acesso à conta bancária e a trajetória favorável da inadimplência confluem para a maior utilização do cartão de crédito. Essa modalidade de pagamento, quando não está sujeita à inadimplência, apresenta juros mais baixos. Prova disso é que os juros menores estão entre as principais razões que estimularam o brasileiro a trocar suas formas de crédito. No ano passado esse era o motivo para 27% dos entrevistados, com salto para 37% em 2010. Mesmo assim, 82% dos entrevistados consideram as taxas de manutenção e de anuidade de seus cartões abusivas, sendo que 64% por serem taxas muito elevadas e 18% por considerarem que deveria haver apenas uma taxa e não duas.

A pesquisa é realizada anualmente em mil domicílios de 70 cidades brasileiras, incluindo nove regiões metropolitanas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DISCUSSÃO VIRA MORTE
Discussão entre vizinhos por som alto termina em tragédia
LUTO NA MODA
Morre Nara Almeida, modelo e influenciadora digital aos 24 anos nesta 2ª feira
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Roberval se envolve com Laureta, dá golpe e foge com joias roubadas
APOCALIPSE
André (Sidney Sampaio) vasculha a casa de Estela (Lisandra Souto) e faz ameaças a ela e a Talita (La
FÁTIMA DO SUL - PARALISAÇÃO NACIONAL
Caminhoneiros prometem fechar rodovia nesta segunda-feira das 07h às 18h em Fátima do Sul
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Luzia descobre armação de Karola contra ela
EMOCIONANTE
Alunos arrecadam dinheiro para professor cearense que não recebe salário há mais de 2 meses
TRAIÇÃO
Jovem desabafa sobre traição de mãe com marido: "Fui largada para morrer na UTI"
FATALIDADE
Aluno de 12 anos morre após ser atingido por trave de gol
HEROI
‘Perdeu tiozão”: guarda municipal impede assalto a loja e troca tiros com suspeitos