Menu
SADER_FULL
sábado, 20 de julho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Brasil se recupera e vence Polônia na fase final do Grand Prix

26 Ago 2010 - 08h52Por Gazeta Esportiva

Surpreendida pelo Japão na estreia da fase final do Grand Prix, a Seleção Brasileira feminina de vôlei se recuperou e venceu a Polônia nesta quinta-feira por 3 sets a 1, parciais de 25/21, 23/25, 25/20 e 25/17.

Com o resultado, a equipe brasileira assume provisoriamente a vice-liderança da disputa com quatro pontos, mas ainda pode ser ultrapassada pelo Japão, que joga contra a China às 8h30 (horário de Brasília). Dependendo do resultado, as nipônicas ocupariam a primeira colocação ao término da segunda rodada.

Enquanto o técnico José Roberto Guimarães optou por dar um voto de confiança ao seu time titular, entrando em quadra com Fabíola, Sheilla, Jaqueline, Mari, Fabiana, Thaísa e Fabi, a Polônia fez três importantes modificações: Skorupa virou levantadora no lugar de Sadurek, enquanto a capitã Skowronska ficou no banco a fim de ceder seu lugar na saída de rede para Kaczor. A líbero escolhida foi Maj, e não Zenik.

Nesta sexta-feira, o Brasil terá um importante duelo pela frente, contra os Estados Unidos, às 4h30 (Brasília). Com duas vitórias na fase final, incluindo uma arrasadora sobre a Itália, as americanas são as únicas adversárias ainda vivas na disputa que não encararam a equipe de Zé Roberto este ano. Em situação bastante complicada, com duas derrotas, a Polônia joga contra a China, às 8h30 (de Brasília).

Tanto quanto os Estados Unidos, porém, a preocupação da Seleção Brasileira fica por conta de Mari, que caiu de mau jeito durante o terceiro set, sofreu uma entorse do joelho direito e precisou sair carregada de quadra. A jogadora é dúvida para as partidas restantes do Grand Prix. De acordo com informações do SporTV, Mari relatou ter ouvido um estalo no joelho e foi constatada a entorse. O médico Julio Nardelli, porém, conseguiu evitar o inchaço e a jogadora até conseguiu andar um pouco no intervalo entre os sets.

Por outro lado, as brasileiras mostraram maturidade ao não se abalarem com a lesão da atacante. A recepção mais uma vez falhou muito e, junto com os erros de saque, quase complicaram a Seleção. Sheilla, por sua vez, fez uma partida bem melhor que contra o Japão e terminou como a melhor pontuadora em quadra, com 20 pontos.

O jogo

Melhor fundamento do Brasil na derrota para o Japão, o bloqueio começou com tudo: além de tocar em praticamente todas as bolas, o paredão verde-amarelo marcou quatro pontos somente na primeira metade da etapa. Perdendo por 14/10, o técnico Jerzy Matlak parou o jogo a fim de passar orientações para sua equipe.

Depois de um início cheio de erros de saque (três para cada lado), Sheilla conseguiu o primeiro ace do jogo, marcando 16/11. Aos poucos, a Polônia, em especial a ponteira Anna Baranska, achou o jeito de superar o bloqueio o Brasil e encostou no placar. O empate veio com um bom saque de Gajgal.

As polonesas chegaram o ter o contra-ataque para virar o placar, mas Sheilla fez importante defesa e Mari virou a bola, conseguindo seu primeiro ponto no jogo. O lance "acordou" a jogadora, que marcou outras duas vezes e deu o set point ao Brasil, convertido em uma explorada de Sheilla.

A segunda parcial começou com um bloqueio da oposta brasileira, que não escondeu o sorriso de satisfação na sequência. Porém, a equipe não aproveitou o bom momento e, errando muito na recepção e no saque, permitiu à Polônia fazer 15/11.

Logo após Fabíola ser bloqueada em uma bola de segunda, Zé Roberto antecipou a inversão 5-1, colocando Dani Lins e Natália em quadra. O Brasil reagiu a empatou em 17 pontos com um erro de ataque de Baranska, mas logo se perdeu e o treinador brasileiro parou de novo o confronto, com 17/20.

Já com a inversão desfeita, a Seleção desperdiçou dois contra-ataques, mas igualou novamente nos 22 pontos. O problema é que o time vacilou outra vez e, já com Sadurek e Skowronska em quadra, a Polônia venceu por 25/23. No ponto final da etapa, Mari foi bloqueada.

A terceira etapa começou equilibrada, com as equipes trocando pontos e sem ninguém escapando no placar até o primeiro tempo técnico. Aproveitando-se dos erros poloneses, o Brasil fez 10/7. Mais uma vez, porém, a oportunidade não foi aproveitada e as rivais empataram em 13/13 em um erro de ataque de Mari. A virada veio logo depois, no 15/14.

A ponteira se recuperou com dois bloqueios que fizeram o Brasil passar à frente e abrir uma vantagem de 19/16. Em seguida, entretanto, Mari caiu de mau jeito e se machucou, precisando sair carregada de quadra. Paula Pequeno entrou no seu lugar e o time não se abalou, alcançando o 25/20 em um ataque de Jaqueline.

O quarto set foi o melhor de todos para o Brasil, que comandou as ações do início ao fim e desestruturou a Polônia, que passou a errar mais que o normal. O ponto do jogo foi de Sheilla, que acertou uma bela paralela se chances para as adversárias.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VICENTINA SENDO REPRESENTADA NO RJ
Vicentina será representada no Internacional de Masters South América de Jiu-jitsu no Rio de Janeiro
POLITICA
'Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira', afirma Bolsonaro
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz se recusa a enxergar caráter de Josiane em 'A dona do pedaço'
REGIME SEMIABERTO
Goleiro Bruno deve sair da cadeia no fim da tarde desta sexta-feira
CASO RARO
Bezerro de seis patas chama atenção moradores de Santa Helena – Veja Vídeo
MONSTRUOSIDADE
Vizinho é preso suspeito de estuprar e estrangular menina de 8 anos
CASA PRÓPRIA
Recurso de R$ 1 bilhão é destinado ao Minha Casa, Minha Vida
VIDA SAUDÁVEL
Homem mais velho do Brasil falece no Rio de Janeiro
BASTA DE IMPRUDÊNCIA
Enlutada pelas mortes, população deixa faixa contra imprudência na PR-082
VIOLENCIA
Motorista atropela manifestantes do MST e mata um idoso