Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 22 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Brasil fica longe do hepta após 2ª derrota no Gran Prix

24 Ago 2007 - 07h45

Na madrugada desta sexta-feira, o Seleção Brasileira feminina sofreu sua segunda derrota na fase final do Grand Prix de vôlei, em Ningbo, na China, perdendo para a Holanda por 3 sets a 1 (19/25, 25/19, 25/23, 22/25 e 15/8). Com isso, as chances do heptacampeonato brasileiro estão cada vez menores.

Nos dois jogos anteriores contra a Holanda, a Seleção havia vencido por 3 sets a 0. Em 42 confrontos, esta foi a primeira derrota do Brasil para a Holanda.

O Brasil precisava desta vitória pois a equipe holandesa é a única invícta na fase final do Grand Prix, estando cada vez mais próximas de conquistarem um título inédito.

A equipe do técnico José Roberto Guimarães volta à quadra neste sábado, às 8h30 (de Brasília), enfrentando a Itália. O último jogo será no domingo, contra a China.

A Holanda lidera a fase final da competição, com três vitórias. O próximo jogo da equipe ocorre também no sábado, às 2h30 (de Brasília), contra a Polônia.

A Rússia, que venceu a Polônia por 3 sets a 0 (25/11, 25/22 e 26/24) e assumiu a vice-liderança com cinco pontos. O Brasil tem quatro e terminará a rodada na quarta ou quinta colocação, dependendo do resultado entre Itália e China.

Sheilla foi a maior pontuadora da Seleção, com 20 pontos no total (17 de ataque e três de bloqueio), seguida por Paula Pequeno (15 de ataque e um de bloqueio). Carol Albuquerque conseguiu quatro pontos de saque.

No entanto, nenhuma delas compensou o equilibrado ataque holandês. Chane Staelens (18 pontos), Visser (17), Flier (15) e Wensik (16, sendo seis de bloqueio) ainda contaram com os 25 erros da equipe brasileira para vencer e dar um grande passo rumo a um título inédito.

O primeiro set mostrou o Brasil arrasador que a torcida se acostumou a ver no Grand Prix. Paula Pequeno foi o destaque, com sete pontos. Mas Carol Albuquerque variou bem o jogo, explorando também Sheilla, que cravou cinco bolas.

O técnico José Roberto Guimarães poucas vezes precisou corrigir o time. Tanto que a única reserva a entrar em quadra foi Joycinha, que atacou da ponta e fechar o set em 25-19.

No segundo set, porém, o pesadelo dos erros cometidos na derrota para a Rússia voltou a assombrar o Brasil. Ao mesmo tempo que a recepção brasileira decaía, obrigando a levantadora a mandar bolas altas para a ponta, o bloqueio holandês crescia e suas atacantes se destacavam.

O melhor exemplo do descontrole foi uma tentativa de Sheilla de largar uma bola sobre o bloqueio. Errou o toque e cedeu um ponto de graça para o adversário. O Brasil dependia de saques forçados, como os de Carol e Fabiana, para marcar seus pontos, já que o ataque não dava resultado.

O terceiro set foi o mais equilibrado. O Brasil saiu na frente, depois voltou a mostrar erros e deixou o adversário disparar. Aos poucos, porém, recuperou a concentração e reagiu. Chegou a empatar por 20 a 20, mas o árbitro voltou atrás da sua marcação e deu o ponto para a Holanda .

A diferença se manteve em um ponto até o fim do set. O empate veio aos 23 pontos, num erro da recepção holandesa. Mas a Holanda marcou dois pontos seguidos, o último deles de bloqueio, e fechou em 25-23.

Um ace de Flier mostrou logo de cara as intenções de decidir o jogo no quarto set, que a Holanda começou vencendo por 4 a 1. Irritado, o técnico brasileiro reclamava da falta de atenção das jogadoras, que não conseguiam encaixar uma boa seqüência e virar o placar. Nas raras chances que encontrava, faltava poder de decisão para pôr a bola no chão do outro lado da rede.

O gostinho de liderar o placar só voltou quando Carol Albuquerque conseguiu variar a armação de jogadas e Fabiana fez 22 a 21. As holandesas pareceram sentir a pressão e o Brasil aproveitou para fechar em 25 a 22, num ataque da jovem Thaisa.

No tie-break, os dois times soltaram o braço. Mas o ataque holandês mostrou mais força, e logo abriu uma vantagem de 10 a 4. O Brasil voltou a mostrar seus erros na recepção e José Roberto Guimarães mexeu no time. Um ponto de saque de Fabiana chegou a animar, mas o ataque continuou incapaz de superar a marcação e a Holanda foi acumulando pontos.

No fim, Vissen bloqueou um ataque pelo meio para marcar seu sexto ponto no fundamento e o 15º da Holanda no set.

 

 

Terra

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho