Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 15 de setembro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Brasil enfrenta Austrália em busca da final no basquete

27 Ago 2004 - 08h56
O Brasil reencontra nesta sexta-feira seu pior algoz desde que ascendeu à elite do basquete, com o título do Mundial feminino de 1994. A Austrália, rival na semifinal do torneio olímpico, às 10h45, tem sido a pedra no caminho da seleção.

Nenhum time enfrentou mais o Brasil nos últimos dez anos em Mundiais e Olimpíadas. Pior: as australianas foram quem mais vezes ganharam das brasileiras no período. Mais até que os EUA.

Foram seis duelos com o país da Oceania, com só uma vitória. Houve três confrontos com as americanas, com duas derrotas.

No Mundial da Alemanha-98, o Brasil perdeu duas vezes para seu carrasco. Na última delas, na luta pelo bronze, ficou fora do pódio.

Dois anos depois, o Brasil bisou o mau retrospecto diante das australianas. O time do técnico Antonio Carlos Barbosa caiu duas vezes: na fase de classificação e na semifinal. Teve que se contentar com o terceiro lugar, após bater a Coréia do Sul na prorrogação.

Nem quando derrotou o time da terra do canguru, o Brasil se deu bem. No Mundial da China, em 2002, a equipe obteve uma vitória apertada por 75 a 74. Depois, porém, caiu diante de Coréia do Sul e China, e ficou fora de uma semifinal de Mundial ou Olimpíada pela primeira vez desde 1992.

"A campanha na China foi uma aberração. Montamos o time às pressas e não tivemos tempo de treino", afirma Barbosa.

Em Atenas, a derrota para a Austrália foi estratégica. Para evitar os EUA na semifinal, o Brasil teria que vencer por 15 pontos de diferença ou perder o duelo.

A equipe optou pela segunda alternativa, e Barbosa escalou as reservas para atuarem a maior parte do segundo tempo. "Aquele jogo não serve de parâmetro. Fomos muito mal. Agora temos que jogar intensamente se quisermos vencer", disse a ala-armadora Iziane.

Para chegar a essa fase, a Austrália fez uma campanha perfeita. Após seis jogos, é o único invicto, ao lado dos EUA, que pegam na sexta a Rússia, na outra semifinal. Apesar da boa vitória sobre o Brasil na primeira fase, a Austrália não usará o discurso da Espanha, cujo técnico subestimou as brasileiras.

"É um time muito forte, com grandes jogadoras como Alessandra e Janeth. Queremos jogar a decisão, mas estamos focadas na semifinal", disse a ala Lauren Jackson, destaque da Austrália.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber
ACIDENTE FATAL
Câmera de segurança registrou acidente fatal de enfermeira. VEJA O VÍDEO
MONSTRUOSIDADE
Homem que matou mãe e filha em Cascavel escreveu carta. Bebê tomou mamadeira “batizada”
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mulher e marido são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos que dormia na casa deles
SUPERSTIÇÃO
Primeira sexta-feira 13 do ano com noite de lua cheia pode ser perigosa, alerta taróloga
ESPORTE
Poderá o poker se tornar olímpico?