Menu
SADER_FULL
quinta, 22 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Brasil e Argentina fazem final da Copa América

22 Jul 2004 - 07h15
O Brasil venceu o Uruguai por 5 a 3, nos pênaltis, depois de empate por 1 a 1 no tempo normal, nesta quarta-feira, em Lima, e se classificou para a final. No domingo, pela primeira vez na história, a equipe encontrará seu mais tradicional rival, a Argentina, na decisão de uma Copa América. 
 
A Seleção sofreu desde o começo para superar os uruguaios. A equipe celeste dominou a etapa inicial desde o primeiro minuto, quando Dario Silva teve a chance de abrir o placar, mas chutou em cima de Júlio César.
  • Acuada, a Seleção Brasileira só conseguiu passar do meio-campo aos 4min. Em um contra-ataque, Adriano entrou pela esquerda chutou e Viera espalmou, no rebote, Kléberson bateu para nova defesa do goleiro uruguaio.

    Depois do susto, a seleção uruguaia retomou o controle do jogo. A equipe celeste só não fez o primeiro gol aos 12min porque Dario Silva perdeu um gol incrível. Juan e Júlio César falharam e a bola sobrou para o atacante, que sozinho na pequena área chutou no travessão.

    Perdido em campo, o Brasil não conseguia se recompor e aos 21min sofreu gol. Após falta cobrada da esquerda, o volante Sosa cabeceou e contou com falha do goleiro Júlio César.

    O Uruguai continuou melhor e teve chance de ampliar o placar aos 35min. Maicon deixou Cristian Rodríguez entrar livre e cruzar para o meio da área. A zaga brasileira afastou. Delgado, em cobrança de falta, exigiu boa defesa de Júlio César aos 40min.

    O Brasil teve um momento de inspiração no fim do primeiro tempo. Aos 46min, Edu quase empatou ao encobrir o goleiro Viera.

    A Seleção deixou o mau futebol no vestiário e voltou melhor para o segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Alex lançou Luís Fabiano, que entrou pela direita e chutou cruzado, Adriano completou e fez seu sexto gol na competição.

    Em menos de cinco minutos, Adriano criou mais duas oportunidades, mas em ambas as ocasiões ele chutou para fora.

    O futebol de Alex também apareceu na etapa final. O camisa 10 da Seleção arriscou de fora da área, aos 9min, para defesa de Viera. Dois minutos depois, o capitão brasileiro voltou a se destacar ao fazer jogada individual e cruzar para o meio da área.

    Assustado com o crescimento do Brasil, o Uruguai recuou e nem mesmo nos contra-ataques levava perigo. O ímpeto da Seleção, no entanto, diminuiu e o nível do jogo caiu.

    O técnico Carlos Alberto Parreira deixou a equipe mais ofensiva. O treinador colocou Júlio Baptista e Diego nos lugares de Kléberson e Edu.

    As alterações demoraram para surtir efeito. O Brasil só voltou a estar perto do gol da vitória aos 43min. Adriano cruzou da esquerda e Júlio Batista chutou para defesa com os pés de Viera. Um minuto depois, Luís Fabiano recebeu na área e tocou por cima do goleiro uruguaio, mas a bola foi para fora.

    Nos pênaltis, o Brasil teve 100% de aproveitamento. Luisão, Luís Fabiano, Adriano e Renato converteram suas cobranças. O goleiro Júlio César se redimiu da falha no tempo normal e defendeu o quarto pênalti do Uruguai, cobrado por Sanchez. Alex teve a responsabilidade de cobrar a última penalidade e colocar a Seleção em mais uma decisão de Copa América.

  • Deixe seu Comentário

    Leia Também

    FATALIDADE
    Menina de 7 anos é atacada por pitbull e morre na casa dos avós
    CRIMINOSO FORAGIDO
    Ataque com machadinha deixa alunos e professora feridos em escola
    POLEMICA II
    Após polêmica, deputado diz que não existe PL de poliamor ou casamento entre mães e filhos
    CONFISSÃO
    Filhos investigam e descobrem que pai matou a mãe há 37 anos
    MAL SUBITO
    Policial militar tem mal súbito e morre no mesmo dia que descobriu que seria pai
    NOVELA GLOBAL
    Régis oferece vender loja para dar dinheiro a Maria da Paz em 'A dona do pedaço'
    POLÊMICA
    Vale Tudo: projeto libera casamento entre mães e filhos e revolta MS
    100 VERBAS
    Emissão de CPF e restituição do IR podem ser suspensas pela Receita
    100 PENA
    'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
    ACIDENTE TRÁGICO
    Morte de três profissionais em acidente comove a cidade