Menu
SADER_FULL
domingo, 25 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Brasil cai no ranking de competitividade

13 Out 2004 - 10h54

Pelo quarto ano consecutivo, o Brasil caiu no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial - organização não-governamental que presta consultoria à ONU e organiza o encontro anual em Davos, na Suíça.

O País ficou em 57º lugar entre os 104 países analisados. No ano passado, estava três posições acima. Em 2002, ocupava o 45º lugar e, em 2001, 44º. Logo acima dos brasileiros estão Marrocos, Índia, Uruguai, El Salvador e Namíbia. Logo atrás, estão Panamá, Bulgária e Polônia.

A Finlândia lidera o ranking pela terceira vez, seguida por Estados Unidos, Suécia, Taiwan, Dinamarca e Noruega.

O ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial tem como objetivo apontar aspectos negativos e positivos das economias.

O índice composto é baseado em três "pilares": qualidade do ambiente macroeconômico, situação das instituições públicas e disponibilidade tecnológica.

Impostos

Os analistas do Fórum Econômico Mundial entrevistaram mais de 8,7 mil empresários em 104 países para fazer o ranking.

Em uma das perguntas, os entrevistados tiveram que selecionar os cinco fatores mais problemáticos - em uma lista de 14 - para fazer negócios em seus países.

No Brasil, foram apontados impostos, regulamentação tarifária, burocracia, acesso a financiamento e instabilidade política.

A carga de impostos no Brasil, indicada pelos empresários como o maior entrave para a competitividade econômica no País, é de 38,11% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT).

Em países desenvolvidos, como Japão e Estados Unidos, essa proporção é de 27,3% e 28,9%, respectivamente, segundo dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

De acordo com o Fórum Econômico Mundial, as grandes desvantagens competitivas do país no ambiente macroeconômico, são o spread bancário (taxa cobrada em empréstimos) e a inflação.

Em relação às instituições públicas, o crime organizado seria o maior problema.

Chile

As economias latino-americanas foram as que tiveram o pior desempenho no ranking de competitividade deste ano. "Um problema significativo na América Latina é a natureza incompleta das reformas", diz o texto.

"A América Latina está ficando para trás, não apenas em relação às economias do leste asiático mas, mais significativamente, em comparação às economias de transição da Europa central e do leste."

Peru e Bolívia caíram, respectivamente, dez e 13 posições. "Onde alguma melhora é visível - como na Argentina que subiu do 78º para o 74º lugar - os níveis refletem, principalmente, o salto em relação aos níveis muito baixos do ano anterior, ldecorrentes do colapso da moeda e do sistema financeiro do país."

O levantamento segue dizendo que "instabilidade política, burocracia e corrupção são os fatores mais problemáticos para fazer negócios na América Latina".

O Chile é apontado como o país com a economia mais competitiva da região - no ranking deste ano subiu seis posições para o 22º lugar.

O Fórum Econômico Mundial dedica um capítulo do seu relatório apenas ao Chile, com o título A Próxima Fase de Desenvolvimento.

O texto diz que o país conseguiu "crescer mais rapidamente do que muitos outros países em desenvolvimento, aumentando a renda per capita e fazendo progressos para reduzir os níveis de pobreza".

Em 2003, o PIB chileno cresceu 3,2% e, para este ano, as expectativas giram em torno de um crescimento de 5%.

Quanto ao primeiro lugar da lista, a Finlândia, o Fórum Econômico Mundial diz que o país "é muito bem administrado no nível macroeconômico, mas também marca pontos muito elevados nas medidas que avaliam a qualidade de suas instituições públicas".

"Além disso, o setor privado mostra uma alta tendência para adotar novas tecnologias e incentivar uma cultura de inovação."

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção