Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 20 de março de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Bolsa Família inclui mais 55 municípios em setembro

7 Out 2004 - 13h53

Mais de 55 municípios foram incluídos no Bolsa Família, em setembro, e agora o programa alcança 18 estados e está presente em 5.521 municípios em todo o país. O diretor de gestão do programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Sergio Paganini, disse, nesta quinta-feira, em entrevista à Radiobrás, que o resultado é um marco histórico, já que agora apenas nove estados (Goiás, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo e Tocantins) não têm todos os seus municípios incluídos no programa. O objetivo é que as famílias migrem do Bolsa Escola para o programa Bolsa Família. Segundo os critérios do programa, as famílias com renda per capita mensal de até R$ 50 recebem um benefício básico de R$ 50 mais um valor variável de R$ 15 por filho de até 15 anos. As famílias com renda de R$ 51 a R$ 100 recebem apenas o benefício variável, de acordo com a composição familiar, também com o limite de R$ 45. Segundo Paganini, esse benefício pode ser aumentado quando o governo federal possuir mais parcerias com as prefeituras e os governos estaduais. É o caso, por exemplo, da região Norte, no município de Bela Vista, onde este valor é maior. Sergio Paganini afirma que o objetivo do Ministério do Desenvolvimento Social é atender pelo menos 50 por cento das famílias pobres, com renda de até R$ 100 mensais. Mas para isso destaca: “Precisamos contar com esforço dos municípios. Na medida em que as famílias sejam incluídas e o município esteja abaixo desse patamar, nós automaticamente vamos ampliando o número de famílias atendidas. Eu gostaria de ressaltar que em cada um dos três meses restantes do ano nós vamos incluir 500 mil famílias, 500 em novembro e 500 mil famílias em dezembro. Nós vamos aumentar, e muito, tanto a participação de municípios como principalmente a de famílias”. Segundo o diretor, não existe um tempo de permanência dessas famílias no programa. A intenção é apoiá-las enquanto estiverem com uma renda que exija suporte. Mas, destaca ele, ao permitir acesso ao serviço de educação e saúde a tendência é que esta situação melhore. “Se as crianças estão em idade escolar, elas têm que ter freqüência mínima de 85% na escola. Se as crianças são menores, estão na faixa entre 0 e 7 anos, elas têm que fazer um acompanhamento de saúde, principalmente para que a gente verifique o estado nutricional dessa criança. Então nós entendemos que, com o acesso das famílias a esses serviços básicos de educação e saúde, a tendência da situação dessa família é melhorar com o passar do tempo”, explica ele. O Ministério do Desenvolvimento Social continua atendendo em todo o país os beneficiados do Bolsa Escola (3,4 milhões de famílias), Bolsa Alimentação (251 mil famílias), Cartão Alimentação (322 mil famílias) e Auxílio Gás (6,3 milhões de famílias), até que todos sejam migrados para o Bolsa Família. O repasse mensal totaliza R$ 194,7 milhões. A Bahia é o estado mais beneficiado pelo programa, com 677 mil famílias atendidas e recurso mensal de R$ 48 milhões. São Paulo tem a maior quantidade de famílias atendidas entre os municípios do País: 150 mil, com repasse mensal de quase R$ 9 milhões.

 

 

Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo