Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Bola parada livra o São Paulo do sufoco após 12 rodadas e afunda o Vasco

16 Set 2013 - 09h38Por Gazeta Esportiva

No segundo jogo sob comando de Muricy Ramalho, o São Paulo derrotou o Vasco por 2 a 0, na tarde deste domingo, e finalmente deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, depois de 12 rodadas (ou 49 dias). Os gols em São Januário foram anotados por Rodrigo Caio e Antônio Carlos, ambos após bola parada.

Agora com os mesmos 24 pontos do próprio Vasco, a equipe paulista sai do sufoco por justamente ultrapassar o rival deste domingo, nos critérios de desempate. O time carioca, inclusive, termina a rodada entre os últimos quatro colocados da competição.

O próximo compromisso do São Paulo na competição será na quarta-feira, diante do Atlético-MG, no Morumbi. No mesmo dia, o Vasco (que chegou neste domingo à terceira partida seguida sem vitória) tenta se recuperar contra o Vitória, novamente como mandante.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Rodrigo Caio, de cabeça, abriu o placar de São Januário após cobrança de escanteio de Jadson pela esquerda

Neste domingo, sem ter os volantes Wellington e Denilson, Muricy devolveu Rodrigo Caio à sua posição de origem, no meio-campo, escalando a equipe com apenas dois zagueiros: Rafael Toloi e Antônio Carlos. Na lateral direita, em vez de Mateus Caramelo, a opção foi pelo zagueiro improvisado Paulo Miranda. Outras mudanças foram os retornos de Jadson e Osvaldo ao time.

Logo no primeiro minuto, a nova formação são-paulina levou perigo ao adversário. Maicon apareceu de trás e, da entrada da área, chutou rasteiro, à esquerda da meta de Diogo Silva.

Acuado de início, o Vasco começou a sair aos poucos de seu campo de defesa, mas encontrava dificuldade pelo meio. O escape era na maioria das vezes pelo lado esquerdo, com Marlone, que aproveitava eventuais subidas de Paulo Miranda para rondar a área. Mas, ao chegar nela, encontrava um forte bloqueio para seus arremates.

Foi assim até a metade do primeiro tempo. Até o São Paulo descolar um escanteio pelo lado esquerdo. Jadson levantou a bola na pequena área, e Rodrigo Caio - melhor cabeceador do elenco - saltou mais alto do que a marcação para colcoar a bola na rede e abrir a contagem em São Januário, aos 30 minutos.

A paciência da torcida carioca começou a minguar. Na primeira jogada depois do gol, Marlone errou um cruzamento e ouviu a arquibancada chiar. O problema é que ele não era o único a jogar abaixo da crítica. Até mesmo o ídolo Juninho parecia não estar em um dia bom, sem a pontaria de costume nas cobranças de escanteio e falta.

Antes do intervalo, o Vasco ainda reclamou de um pênalti inexistente em André, que pouco fez na primeira metade da partida além disso. Assim como o goleiro são-paulino Rogério Ceni, muito pouco exigido, a não ser para bater tiros de meta ou, como de costume, participar da saída de jogo de sua defesa.

Para a segunda etapa, Muricy sacou Osvaldo - o atacante voltava de suspensão, mas não fez um bom primeiro tempo, ratificando jejum que o persegue desde o fim de fevereiro - para a entrada de Welliton. Dorival, insatisfeito com o revés parcial, também mexeu na sua equipe: colocou Dakson e Reginaldo nos lugares de Abuda e Willie.

As alterações do treinador vascaíno mostram trabalho rapidamente. Ainda no primeiro minuto, depois de o são-paulino Antônio Carlos assustar com cabeceio à queima-roupa, o ataque do time da casa quase empatou. Reginaldo avançou pela direita e cruzou para Dakson, que entrava na pequena área, cabecear. A bola quicou e passou pouco acima do travessão.

Mas a aceleração não se manteve. Aos poucos, o São Paulo voltou a ter espaço para valorizar a posse de bola. E até ampliou sua vantagem no marcador. Após nova cobrança de escanteio, o zagueiro Antônio Carlos aproveitou corte mal feito pelo goleiro e completou para a rede para sacramentar a vitória e ajudar seu time a sair do sufoco após quase dois meses.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos