Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 17 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Bens dos envolvidos na Uragano podem ser bloqueados

10 Set 2010 - 15h51Por Diário MS

O prefeito de Dourados Ari Valdecir Artuzi e as outras 28 pessoas presas na Operação Uragano realizada pela Polícia Federal, no inicio de setembro podem ter os bens bloqueados, segundo o promotor Paulo César Zeni o Ministério Publico Estadual (MPE) vai solicitar a Justiça.  

O prefeito, vice-prefeito, nove vereadores, secretários e empresários da cidade são acusados de participar de um esquema de corrupção que desviava dinheiro dos cofres da Prefeitura da cidade. O promotor relatou ainda durante uma coletiva de imprensa realizada na tarde de ontem, que o objetivo é de requisitar na ação principal por improbidade administrativa, inclusive, a devolução de dinheiro público desviado pelos integrantes do esquema de corrupção.  

As investigações da Polícia Federal mostram que Artuzi utilizava o dinheiro das propinas para compra de cabeças de gado, imóveis urbanos e rurais, e para custear despesas familiares. Os valores desviados dos cofres públicos e recebidos por empreiteiras prestadoras de serviço também serviam para o pagamento de propina a grande parte dos vereadores.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário
HORARIO DE VERÃO
Atrase seu relógio! Horário de verão termina neste sábado(16)
CARCERE PRIVADO
Mulher é chicoteada com fio elétrico pelo marido
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Lutador de MMA mata ex de 16 anos, tenta suicídio e morre horas depois em hospital
VIOLENCIA NO RIO
Menina de 11 anos é baleada e morta em Triagem; moradores protestam
DOENÇA GRAVE
Leiliane ganha acompanhamento médico após desastre com Boechat