Menu
SADER_FULL
quarta, 21 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

BC tem como objetivo inflação de 5,1% em 2005

23 Set 2004 - 15h04
O Banco Central prevê um aumento de preços acima da meta central de 4,5% para 2005, e irá trabalhar com o objetivo de atingir uma inflação de 5,1% no próximo ano.

A margem de intervalo permanece em 2,5 pontos percentuais para cima ou para baixo da meta central. O BC também diz que será menos tolerante em relação a choques que possam ameaçar o cumprimento de seu objetivo, segundo a ata do Copom (Comitê de Política Monetária do BC), que elevou a taxa básica de juros em 0,25 ponto percentual para 16,25% ao ano na semana passada. Foi a primeira elevação dos juros desde fevereiro do ano passado.

"O Copom precisará ser ainda menos tolerante em relação a choques que ameacem tornar a inflação maior do que o seu objetivo de 5,1% em 2005, tirando ao mesmo tempo proveito máximo de eventuais choques favoráveis como oportunidade para reaproximar a inflação da trajetória de metas estipulada pelo CMN", diz a ata.

A inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial do governo, está em 5,14% entre janeiro e agosto e 7,18% no acumulado de 12 meses. Em agosto, o IPCA registrou inflação de 0,69%.

Segundo o documento divulgado hoje, a menor tolerância é necessária porque projeções já apontam para uma inflação acima de 5,1% para 2005. O controle da inflação é ameaçado pela indefinição do mercado internacional de petróleo e pela pressão do "potencial" repasse dos preços do atacado para o varejo, o que é previsto em um cenário de retomada do crescimento econômico e do aumento do poder aquisitivo do trabalhador.

O Copom vê "um ambiente capaz de acomodar recomposições de margem de lucro, inclusive as requeridas por reajustes salariais que tendam a elevar o rendimento real médio entre dissídios".

Esse cenário levou o Copom a concluir que seria necessário dar início, já em 2004, a um "processo de ajuste moderado do instrumento da política monetária". A defasagem entre o anúncio da mudança na taxa de juros e o efeito produzido na economia foi a justificativa do comitê para a decisão tomada na semana passada. "Banco centrais devem atuar de forma preventiva, antes que os dados contemporâneos permitam identificar sinais de descontrole inflacionário ou de pressões excessivas de demanda."

A ata afirma ainda que o "ajuste da política monetária tem como objetivo último oferecer condições de sustentabilidade de longo prazo ao processo de crescimento da economia brasileira" e que esse ajuste será implementado de forma gradual.

O aviso de um ajuste gradual, já tornado público na semana passada juntamente com o anúncio do aumento da Selic, aumentou as projeções da taxa de juros futuros. Segundo a ata, o mercado percebeu o tom de "maior austeridade na política monetária".

Preços

A ata revisou de 12,8% para 13,9% a projeção de aumento das tarifas da telefonia fixa. Quanto às tarifas da energia elétrica, houve uma pequena redução de 0,1 ponto percentual para 11,5%. A expectativa em relação ao aumento do preço da gasolina permanece em 9,5% no ano. Para o gás de botijão, a projeção subiu 0,6 ponto percentual, para 6,2%.

O conjunto de preços administrados medidos pelo IPCA deve subir 8,5% em 2004, um leve aumento em relação ao mês passado.

Para setembro, o Copom prevê que os preços ao consumidor subiram menos que em agosto, devido à redução dos impactos dos reajustes de preços monitorados e pela menor pressão dos alimentos "in natura".
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATALIDADE
Menina de 7 anos é atacada por pitbull e morre na casa dos avós
CRIMINOSO FORAGIDO
Ataque com machadinha deixa alunos e professora feridos em escola
POLEMICA II
Após polêmica, deputado diz que não existe PL de poliamor ou casamento entre mães e filhos
CONFISSÃO
Filhos investigam e descobrem que pai matou a mãe há 37 anos
MAL SUBITO
Policial militar tem mal súbito e morre no mesmo dia que descobriu que seria pai
NOVELA GLOBAL
Régis oferece vender loja para dar dinheiro a Maria da Paz em 'A dona do pedaço'
POLÊMICA
Vale Tudo: projeto libera casamento entre mães e filhos e revolta MS
100 VERBAS
Emissão de CPF e restituição do IR podem ser suspensas pela Receita
100 PENA
'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
ACIDENTE TRÁGICO
Morte de três profissionais em acidente comove a cidade