Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 19 de setembro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Banco e Serasa são condenados por negativação indevida

15 Set 2010 - 10h36Por Diário Net
O banco Panamericano e a Serasa foram condenados a indenizar um consumidor de São Sebastião (DF) em R$ 6 mil por terem negativado seu nome. O problema é que ele estava sendo cobrado por um contrato com assinatura falsa feito em São Paulo.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec), em vez de agir preventivamente e baixar as restrições em nome do consumidor até que apurassem o caso, o banco e a Serasa inverteram a lógica, informando que ele ficaria negativado até prova em contrário.

A vítima registrou, então, boletim de ocorrência na Delegacia de Defraudações da Polícia Civil e recorreu ao judiciário. A juíza Grace Correa Pereira, da 6ª Vara Cível de Brasília, determinou que a dívida fosse considerada nula, o cartão de crédito emitido cancelado e o Panamericano e Serasa condenados a indenizar o consumidor em R$ 6 mil.

O presidente do Ibedec, José Geraldo Tardin, informou que de janeiro a setembro 83 consumidores procuraram o instituto somente em Brasília sobre o mesmo problema. Para facilitar a ação em casos como esses Tardin dá as seguintes orientações:

- ao saber de fraudes com seus documentos e dívidas contraídas em seu nome, o consumidor deve registrar boletim de ocorrência na polícia.

- quem tiver documentos furtados ou perdidos também deve registrar BO para se precaver de clones e, se possível, publicar um anúncio nos classificados de jornais locais para comunicar a situação.

- o consumidor deve pedir o cancelamento do contrato feito em fraude diretamente ao agente financeiro, bem como a baixa da restrição de crédito em seu nome.

- caso o banco não responda ao pedido de cancelamento em até 30 dias ou insista na negativação, o consumidor deve recorrer ao judiciário, pedindo o cancelamento do contrato e indenização por danos morais.

- As ações até de valor de até 20 salários mínimos podem ser propostas nos juizados especiais, sem necessidade de advogado. As causas até 40 salários mínimos podem ser propostas nos juizados, mas exigem a presença de advogado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Antes de beijos em boate,Anitta convidava bailarina para apimentar relação com Scooby
AFRONTA
Modelo brasileira posa nua e quase é presa na Coreia do Norte
VIOLENCIA
Em manhã com cinco mortos, menino lamenta não poder sair de casa
TURISMO E DESCANSO
6 praias brasileiras para visitar antes de morrer
GASOLINA SEM REAJUSTE
Sinpetro diz que não haverá reajuste imediato no preço dos combustíveis
NOVELA GLOBAL
Em 'A dona do pedaço', Régis se aproxima de Maria da Paz, que fica mexida com ex
ALTOS HONORÁRIOS
Advogados cobram R$ 4,4 milhões de Viúva da Mega-Sena em honorários na Justiça
TRAGEDIA
Pai tenta salvar filho em incêndio, mas os dois morrem
MUNDO MEDONHO
'Pago boleto, compro calcinha': usuários de aplicativos de paquera relatam apuros e curiosidades
FAMOSIDADES
Belo sai de casa após flagrar traição de Gracyanne