Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 18 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Bactéria vira alternativa para produzir plástico

16 Ago 2004 - 17h43
Uma equipe de cientistas suíços trabalha no cultivo de bactérias que poderão revolucionar tanto a medicina como a indústria do plástico.

Cerca de uma centena de bactérias --incluindo a que é conhecida com o nome científico de Pseudomonas putida-- devora toda uma série de produtos tóxicos para o homem como o fenol, o tolueno e outros derivados de hidrocarbonetos.

Durante o processo de digestão, essas bactérias produzem uma substância mais valiosa para os cientistas do que o petróleo --trata-se do biopolímero PHA, cujos terrenos de aplicação são enormes.

"As bactérias funcionam como os seres humanos", comentou a cientista Helene Felber, do Instituto Federal de Pesquisa de Materiais de Sankt Gallen, na Suíça. "Tal como nós transformamos em gordura o carbono que consumimos em excesso, esses microrganismos o transformam em PHA."

Matéria-prima

Graças a essas bactérias, os cientistas conseguiram três tipos de biopolímeros PHA, uma matéria-prima a partir da qual se poderia fabricar desde material para embalagens e colas, até substitutos da epiderme, válvulas cardíacas e artérias.

Segundo Bernard Witholt, do Instituto de Biotecnologia da Escola Superior de Tecnologia de Zurique, em 30 ou 40 anos será possível substituir progressivamente o petróleo pelas bactérias produtoras de material plástico.

Depois de ter estudado com cientistas do Instituto Federal Suíço de Proteção de Águas o metabolismo dos micróbios produtores de PHA, Witholt e está convencido do grande potencial desses microrganismos como devoradores de todo o tipo de matérias tóxicas em benefício do ambiente.

No entanto, segundo o especialista, é preciso separar muito bem os dois processos: "a descontaminação e a produção de PHA pelas bactérias requerem processos biotecnológicos muito diferentes".

O maior potencial está na indústria química tradicional: para o ano 2010, cerca de 60% dos produtos da química fina poderiam ser produzidos com a ajuda destes microrganismos, o que corresponderia a um valor de mercado de € 230 milhões, de acordo com uma estimativa de peritos da Technical Insights.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
SUPERAÇÃO
Pedreiro cadeirante enfrenta difilculdades e sustenta a família trabalhando em obras
GASES MORTAIS
Homem morre após segurar peidos na casa da namorada
REALITY SHOW
'BBB 19': Danrley diz ser virgem, e irmã brinca: 'Nem no signo'