Menu
SADER_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Avaliação do ensino superior começa hoje em todo o Brasil

1 Set 2004 - 10h48
 

A nova avaliação do ensino superior no País começa hoje com as instituições tentando analisar a si mesmas. A auto-avaliação é a primeira das três fases do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes) e pode levar até dois anos. A próxima fase é o Exame Nacional de Desempenho (Enade), o novo Provão, que acontece em 7 de novembro.

O Enade contará com duração de quatro horas e será realizado por estudantes dos cursos de Agronomia, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional e Zootecnia.

As provas terão 10 questões de avaliação da formação geral, comum aos cursos de todas as áreas, e 30 questões específicas para cada área do conhecimento. Nas duas partes, as questões serão discursivas e de múltipla escolha, envolvendo situações-problema e estudos de casos.

O sistema completo de avaliação prevê auto-avaliação, a avaliação por comissões externas e o Enade. Quando tiver o resultado desses três pontos o MEC fará um relatório final sobre cada instituição. Terá três anos para se concluir se uma instituição é realmente ruim.

"Esse sistema tem alta complexidade, muita precisão, muita abrangência e ela demora. Nossa visão é mais de médio e longo prazo", disse em Brasília o ministro da Educação, Tarso Genro.

Atualmente, 80,6% das 2.124 instituições de ensino superior formaram suas comissões de avaliação, incluindo 64% das estaduais que, por lei, não são obrigadas a participar. Das universidades federais, 87,2% têm as comissões. Entre as privadas, o índice é de 82,6%.

Cada instituição receberá um prazo, de até dois anos, para finalizar sua auto-avaliação. Depois, haverá avaliação externa, terceira fase do processo, que será conduzida por especialistas em cada área de conhecimento.

Na auto-avaliação as instituições terão que seguir um roteiro preparado pelo MEC para que possa haver comparação entre os resultados. Ele prevê quatro áreas de avaliação - ensino, pesquisa, extensão e pós-graduação - com pontos que todas deverão levar em conta, o chamado núcleo básico, e outros pontos opcionais, adequados ao perfil e tamanho da instituição.

No ensino, por exemplo, todas as instituições terão que avaliar as práticas pedagógicas e a pertinência dos currículos. E poderão optar por incluir, por exemplo, a periodicidade com que os currículos são renovados. Na pesquisa, um dos pontos obrigatórios é analisar se os estudos têm relevância social. Na parte optativa, pode-se avaliar se há incentivo para formação de novos pesquisadores.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho