Menu
prefeitura VICENTINA Março 2019
terça, 19 de março de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Atuação de jovens é decisiva na redução da violência escolar

27 Set 2004 - 15h10
Não há receita pronta para o enfrentamento da violência nas escolas, mas elas são capazes de pôr em prática ações que tragam as soluções, que dependem muito da participação dos jovens para o alcance de resultados.

As conclusões são do representante da Subsecretaria de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Alberto Albino dos Santos, sobre a realidade das escolas públicas brasileiras e as ações do programa Ética e Cidadania Construindo Valores na Escola e na Sociedade, iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e da Subsecretaria de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, do governo federal.

Alberto participa do Seminário Regional de Ética e Cidadania, que acontece hoje no Centro de Educação Profissional Ezequiel Ferreira Lima (Cepef), em Campo Grande. Segundo o gestor, o caminho proposto às escolas é o da educação pelos direitos humanos, pela ética e pela cidadania, essencialmente prático e com exigência de ampla participação das comunidades da escola e de fora dela. “As escolas são convidadas a formar um fórum com todos os representantes da comunidade e, a partir disso, passam a desenvolver as atividades relacionadas à formação dos alunos, em salas de aula e em outros espaços e momentos possíveis.”

As unidades que já desenvolvem projetos culturais, de lazer, de esporte ou de outro caráter, devem continuar e aprimorar suas estratégias. De acordo com o representante da Subsecretaria de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, a idéia é criar nas escolas ambiente diferenciado, de cumplicidade, de compromisso, que as tornem menos reprodutoras de violência, mais imunes, e com capacidade de defesa para não reproduzir essa violência.

Ele afirma que a sociedade tem uma cultura de violência social e de autoritarismo que explode na escola. “A violência não é só física. Há também as discriminações, que são formas de violência e acabam sendo reproduzidas pelas escolas”.

Alberto Albino dos Santos explica que, em geral, as respostas para o problema da violência são apresentadas sempre na forma repressiva, com aumento dos sistemas de segurança e reforço de policiamento. “Isso, porém, não mostrou nenhum resultado efetivo até agora. Pelo contrário, acaba sendo causa de mais desrespeito nos ambientes escolares”.

As ações do programa Ética e Cidadania Construindo Valores na Escola e na Sociedade dependem muito da participação dos jovens para se tornar efetivas. “Muitas vezes, os jovens são vítimas e agentes da violência, mas também são agentes de mudança. Pela capacidade de ação e participação que eles têm, precisam ser estimulados”.
 
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo