Menu
SADER_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Assembléia Legislativa cria CPI para investigar a Enersul

22 Mai 2007 - 10h36

O presidente da Assembléia Legislativa acaba de criar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar os fatores determinantes do aumento cobrado pela Enersul na tarifa de energia elétrica. O requerimento para a instauração da CPI teve a assinatura dos 24 deputados estaduais, sendo que eram necessárias as assinaturas de apenas um 1/3 da Casa de Leis.

Segundo o requerimento lido pelo presidente, a comissão, que terá 120 dias para concluir os trabalhos, vai investigar o possível descumprimento da Resolução nº 447 da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Como a criação CPI será publicada apenas amanhã no Diário Oficial do Estado, os cinco membros que irão compor a comissão serão definidos somente amanhã, mas os partidos já começaram a indicar nomes.

Conforme tinha sido antecipado no sábado passado pelo Midiamax, o relatório ficou pronto na semana passada e ontem teve início a coleta de assinaturas, sendo que faltava apenas a assinatura do deputado estadual Londres Machado (PR), que assinou há pouco. A reportagem tinha sido informada que o presidente da Casa de Leis e demais deputados passaram a semana estudando os aspectos legais da CPI para evitar a reedição da tentativa frustrada do ano passado.

Embora Jerson Domingos tenha dito que não descarta a proposição e que a criação da CPI ainda não estava definida, o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB), presidente da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), confirmou que o movimento era de instauração e que não estava havendo resistência por parte de nenhum parlamentar. Ele revelou ainda que a Casa está se cercando de toda cautela para evitar que a CPI também seja suspensa pelo TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) como aconteceu em agosto de 2006, acatando mandado de segurança impetrado pelos advogados da Enersul.

Investigação

No entanto, conforme Marquinhos, dessa vez o fator determinante é outro, pois, diferente da versão de 2006, a CPI não se trata de investigar os ativos da empresa, mas de investigar o possível descumprimento de uma portaria da Aneel. O parlamentar justifica ainda que, embora a concessão seja federal, a empresa atua em Mato Grosso do Sul.

A Enersul já divulgou nota informando que os níveis tarifários de energia em Mato Grosso do Sul são elevados, mas que esses índices de reajuste são estipulados e fixados pela Aneel – desde o dia 8 de abril as contas de energia dos consumidores residenciais estão 3,20% mais caras, enquanto os consumidores de alta tensão pagam 2,58% mais cara. A concessionária destaca que 30% do valor cobrado nas contas de energia são destinados a compra de energia, 40% referentes a encargos do Estado e União e 30% fica com a concessionária.

Aneel

Ontem a Aneel anunciou que a partir de hoje vai fiscalizar a Enersul para verificar a correta aplicação dos valores de tarifas homologados em 3 de abril deste ano, cujos índices foram aplicados a partir do dia 8 de abril. Em razão de notícias veiculadas pela imprensa nos últimos dias, a respeito do reajuste aplicado pela Enersul, os técnicos da Aneel e da Agepan (Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul) estarão durante toda a semana em atividades de fiscalização das contas de luz dos consumidores sul-mato-grossenses.

A avaliação de informações contábeis já está sendo realizada pela superintendência de Fiscalização Econômica e Financeira da Aneel que analisa a correta aplicação pela concessionária da metodologia de apuração e implementação dos percentuais de repasse de PIS/Cofins e ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). As fiscalizações são realizadas constantemente para verificar a qualidade da prestação do serviço de distribuição de energia elétrica. No total, os técnicos da Aneel e da Agepan realizaram 44 fiscalizações na Enersul desde 1999 sobre a prestação de serviços aos consumidores. Outras 13 fiscalizações na empresa foram relativas ao aspecto econômico-financeiro da concessão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos