Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 12 de dezembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Viciado em Crack

Assaltante se entrega a polícia e pede ajuda para se tratar

As imagens do crime foram divulgadas, Renato foi reconhecido e se entregou para a polícia.

16 Abr 2018 - 13h45Por Rede Massa

A Polícia Civil de Maringá apresentou na manhã desta segunda-feira (16), o servente de pedreiro Renato Bomfim, que foi preso sob a acusação e ser o autor de um assalto registrado no dia 9 de abril, em uma circular do transporte coletivo, da linha Conjunto Santa Felicidade.

O homem que fingia estar armado entrou no coletivo e deu voz de assalto. Ele roubou o motorista e os passageiros, e fugiu na sequência. As imagens do crime foram divulgadas, Renato foi reconhecido e se entregou para a polícia.

Renato afirma que “é doente e precisa de tratamento”. “Eu sou viciado em crack, sou dependente químico, preciso de tratamento”, disse.

Ele também afirmou que no dia do crime havia consumido crack. “Há 18 anos eu sou viciado. Quero falar para os juízes que virem essa entrevista, me ajudem”.

Renato é casado e tem dois filhos, uma jovem de 20 anos e um rapaz de 19.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Aranha descobre marca de pata de gato de Gabriel, tira foto e conta aos guardiã
SUSTO
Celular pega fogo no bolso da calça e deixa homem com queimaduras na perna e mãos
PROCURADO
Com prisão decretada desde setembro, Dado Dolabella é considerado foragido da Justiça
DICAS DE MARKETING
5 dicas de marketing para um negócio de dropshipping
CRIME HEDIONDO
Câmera flagra ataque de suspeito de estuprar garota de 14 anos em SP; vídeo
TERROR
Ataque dentro da Catedral deixa ao menos cinco mortos em Campinas
REVIDE
Passageiro atropelado por motorista de aplicativo após vomitar em carro está em coma
A SERVIÇO DE DEUS
Angela Bismarchi festeja diploma para ser pastora: ‘Eu era pecadora e não sabia’
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Luz dá caixa com terra de cova de Gabriel para Valentina
INTOCÁVEL
PF pediu prisão domiciliar de Aécio, Cristiane Brasil e Paulinho da Força, mas PGR e STF não concede