Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 20 de julho de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Artigo "Moralidade da Mentira" de Oéliton Figueiredo

5 Abr 2007 - 14h31

MORALIDADE DA MENTIRA

 

 

Brasil, o país de todas as maravilhas, de todos os espetáculos! É simplesmente invejável o poder que os brasileiros têm de esquecer-se tão rapidamente das mazelas que vivem; de suas crianças mortas, dos corpos espalhados nos noticiários de TV, de seus políticos fabulosos...

 

Esquecemos tudo rapidinho, e ainda encontramos tempo para nos divertirmos. Adoramos piadas. Adoramos pregar peças. Pregamos peças porque “sacaneando” o próximo talvez consigamos minimizar a dor e a frustração de sermos o que somos.

 

Enquanto isso, aqui na nave Terra, ainda há quem celebre o dia da mentira, tentando pregar peças em seus semelhantes. Porém, fica a pergunta, do que ri o brasileiro? Do que ri nossa humanidade? A mentira nada tem de cômica, é vergonhoso que uma espécie como a nossa que se vangloria de ser tão evoluída, possuidora de tantas virtudes, conviva normalmente com a mentira.

 

A mentira denuncia a covardia nossa de cada dia, o oposto da coragem, que literalmente significa agir com o coração. Se a raça humana orientasse seus passos pelo coração, agindo de acordo com seus desígnios, então a mentira seria banida imediatamente da face da Terra. Porém, dado a nossa humanidade fazer pouco caso da sagrada informação que está plantada no centro do seu coração, age a maior parte do tempo com escárnio, menosprezando sua própria existência.

 

Ao invés de trabalharmos todos para combater a ignorância, o preconceito e os erros; ou invés de glorificarmos a verdade e a justiça; ao invés de tentarmos ser promotores do bem-estar da sociedade e da humanidade; ao invés de trabalharmos na construção de templos à virtude; aprendemos desde cedo a glorificar a mentira. Temos até o “dia da mentira”.

 

Mentir, e o que é pior, mentir deliberadamente, é contra os padrões morais de muitas sociedades e é tido como pecado em muitas religiões. Por essas e outras é que fica difícil entender como o maior país católico do planeta pode aceitar com tanta naturalidade o uso da mentira. Aristóteles, Santo Agostinho, Kant, foram veementes ao negar razão à mentira.

 

Por outro lado nossos ideais parecem não mais fazer sentido, a família parece não mais fazer sentido. Conceitos como ética, moral e bons costumes ficam cada vez mais esquecidos. Defendemos nossos ideais e nossos valores de forma tímida, até parece que nem mesmo nós acreditamos neles. Assim fica fácil a mentira prosperar. Há quem afirme que uma grande mentira contada várias vezes com veemência vale mais que mil verdades ditas sem empolgação. É isso pode realmente vir a ser verdade.

 

Principalmente porque em defesa da mentira, logo surgem argumentos afirmando que a mentira é nada mais que uma sátira com propósitos humorísticos, nesse caso pode e deve ser aceita como não sendo nada imoral. Na verdade as razões morais que leva boa parte da sociedade a tolerar a mentira têm a ver em sua maior parte em evitar conflitos. Contudo um código ético forte irá sempre servir de parâmetro para especificar quando a verdade é necessária ou quando não é. Mas isso é bem diferente de mentir deliberadamente.

 

Em países de língua inglesa o nosso dia da mentira é conhecido como “April Fool’s Day” ou Dia dos Tolos. A crise moral e ética em nosso país é tão gritante que já nos pomos a questionar: Por aqui. tolo é quem acredita na mentira ou o mentiroso que a conta?

 

Existem relatos de que a mentira está valorizada em nosso meio desde a época do Império. No Brasil, o 1º de abril começou a ser difundido no estado de Pernambuco, onde circulou “A Mentira”, um periódico de vida efêmera, lançado em 1º de abril de 1848, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte.

 

Por aqui há quem considere que pregar peças ou contar mentira é algo equivalente a fazer uma “brincadeira”. È por isso que temos a classe política mais brincalhona do planeta, afinal, distorcer informações vale! Esconder dólares não declarados na cueca vale!. Faz sentido haver um dia da mentira por aqui. Afinal de contas, todo mundo mente, em maior ou menor grau. E já aprendemos a venerar isso na escola.

 

 

 

 

Oéliton Santana de Figueiredo

oelitonfigueiredo@hotmail.com

Deixe seu Comentário

Leia Também

VICENTINA SENDO REPRESENTADA NO RJ
Vicentina será representada no Internacional de Masters South América de Jiu-jitsu no Rio de Janeiro
POLITICA
'Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira', afirma Bolsonaro
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz se recusa a enxergar caráter de Josiane em 'A dona do pedaço'
REGIME SEMIABERTO
Goleiro Bruno deve sair da cadeia no fim da tarde desta sexta-feira
CASO RARO
Bezerro de seis patas chama atenção moradores de Santa Helena – Veja Vídeo
MONSTRUOSIDADE
Vizinho é preso suspeito de estuprar e estrangular menina de 8 anos
CASA PRÓPRIA
Recurso de R$ 1 bilhão é destinado ao Minha Casa, Minha Vida
VIDA SAUDÁVEL
Homem mais velho do Brasil falece no Rio de Janeiro
BASTA DE IMPRUDÊNCIA
Enlutada pelas mortes, população deixa faixa contra imprudência na PR-082
VIOLENCIA
Motorista atropela manifestantes do MST e mata um idoso