Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Área plantada do Estado teve aumento de 28% neste ano

19 Jul 2004 - 07h57
A área plantada de Mato Grosso do Sul aumentou 28% do ano passado para esse ano, afirmou o secretário de Produção e Turismo, José Antônio Felício, durante audiência com o governador Zeca do PT. Foram incorporados mais 390 hectares de soja, fazendo a área cultivada do Estado subir para 1,79 milhão de hectares. Mas o potencial de desenvolvimento do campo ainda está longe de se esgotar, e o governo já se antecipa discutindo um plano para ampliar a malha viária e possibilitar a incorporação de outros milhares de hectares.

Relatório da Seprotur (Secretaria de Estado da Produção e do Turismo) revela que a agricultura de Mato Grosso do Sul é a que apresenta mais pujança no país. No Mato Grosso, por exemplo, o crescimento da área cultivada foi de 18% do ano passado para esse; em São Paulo de 17%, Goiás 19%, Maranhão 23% e no Paraná, apenas 9%. O bom momento por que passa a agricultura e a volta do financiamento explicam o interesse pela atividade, mas a liderança do Estado tem outras razões, destaca Felício.

“Dois programas de governo foram responsáveis pela recuperação de 1 milhão de hectares de terras degradadas: o Expansul (Programa de Extansão de Áreas Agrícolas de Mato Grosso do Sul) e o Repasto (Programa de Recuperação, Renovação e Manejo de Pastagens Cultivadas)”, destacou o secretário. Através do Expansul, que incentiva a substituição da pecuária em áreas degradadas pela agricultura em forma de arrendamento, foram incorporados 400 mil hectares na área cultivada do Estado, sendo que 97% foram ocupados pela soja. O Programa Repasto recuperou 600 mil hectares de pecuária, sem substituição da atividade.


Infra-estrutura – José Felício delineou para o governador Zeca do PT o esboço de um plano que visa ampliar a malha viária do Estado para dar suporte à agricultura nas regiões Norte, Sul e Bolsão, onde existe uma considerável demanda reprimida, segundo o secretário. “Em Chapadão do Sul, por exemplo, a abertura de uma estrada de 70 quilômetros possibilita a incorporação de uma área de 100 mil hectares à agricultura. Esse é o pequeno gargalo que precisamos resolver.”

O governador determinou que na próxima semana, Felício se reúna com o secretário de Estado de Infra-Estrutura e Habitação, Carlos Augusto Longo Pereira, para definir o plano de expansão da malha viária, que, além da abertura de novas estradas, prevê a construção de novas e substituição das atuais pontes de madeira por estruturas de concreto, que suportam cargas maiores. Há a possibilidade de o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) financiar o projeto.

“O agronegócio é vital para Mato Grosso do Sul. Mais da metade dos empregos gerados no Estado nos últimos anos são no campo, e vamos continuar investindo para dar condições de crescimento à agricultura e pecuária, ao mesmo tempo em que pensamos projetos de industrialização a médio e longo prazo”, ponderou o governador. Na reunião foram discutidos todos os projetos em execução pela Seprotur, nas áreas de produção agrícola, industrial e no turismo.
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

GOVENO NÃO CUMPRE
Caminhoneiros anunciam nova paralisação, mas trabalhadores de MS não devem participar
RAIVA HUMANA
Morte de turista por raiva humana é confirmada em Ubatuba
NOVELA GLOBAL
Valentim sofre grave acidente de carro
INACEITAVEL
Mãe de jovem morto no Rio: “É um Estado doente que mata criança com roupa de escola”
HAJA CORAÇÃO
Neymar é o autor do gol mais tardio, em tempo normal, de uma Copa na história
COPA DO MUNDO
No sufoco, Brasil supera a Costa Rica e consegue primeira vitória na Copa do Mundo
NOVELA GLOBAL
Segundo Sol: Rosa coloca fim em relação com Ícaro e ele toma atitude
SAUDE
Mulher dá a luz em calçada no Cajuru
FAMOSIDADES
Ex-apresentadora do ‘Vídeo show’, Alinne Prado sofre assalto a mão armada dentro de casa
RELIGIÃO
Padre é flagrado dando tapa em criança durante batismo