Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 21 de novembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Após romper R$ 1,90, dólar sobe e fecha em R$ 1,903

6 Jul 2007 - 16h50

O dólar chegou a cair abaixo de R$ 1,90 nesta sexta-feira com a entrada de divisas no país, mas a resistência à barreira psicológica manteve a moeda norte-americana acima desse piso informal.

O dólar fechou cotado a R$ 1,903, em baixa de 0,57%.

Alguns negócios foram registrados no final da manhã com o dólar a R$ 1,899, mesmo nível visto em novembro de 2000. Na terceira semana de junho, o dólar à vista negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) já tinha caído até R$ 1,897, mas também não sustentou o patamar.

De acordo com analistas, a forte entrada de dólares puxou a queda do dólar desde o início da sessão.

"O mercado tem uma única ponta. É superávit comercial, investimento direto (de estrangeiros), compra de empresas, você só tem ingresso de moeda", disse João Medeiros, diretor de câmbio da corretora Pioneer.

Além disso, as bolsas norte-americanas subiam, apesar da avaliação do mercado de uma menor chance de corte no juro após dados sobre o mercado de trabalho. Os índices eram impulsionados pelas ações do setor de energia, favorecidas pelo avanço do petróleo.

Entretanto, apesar das condições favoráreis, a moeda se equlibrou perto de R$ 1,90 na maior parte do dia. "O que se percebe é que quando isso ocorre (queda abaixo de R$ 1,90), há uma retração da oferta e o preço apresenta discreta recuperação", afirmou a corretora NGO em relatório.

Alívio doméstico
Para o economista-chefe da corretora Liquidez, Marcelo Voss, o alívio momentâneo do mercado brasileiro com a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) também contribuiu para a queda do dólar.

O índice, que é usado como referência para a meta de inflação do governo, subiu 0,28% no mês passado, mesmo ritmo registrado em maio.

O dado diminuiu o temor de um aumento da inflação e tirou a pressão das taxas de juros de longo prazo, que subiam desde quarta-feira com a divulgação de que os preços ao consumidor em São Paulo subiram mais que o previsto em junho.

No final da sessão, o Banco Central voltou a realizar um leilão de compra de dólares no mercado à vista. A autoridade monetária definiu corte a R$ 1,901 e aceitou, segundo operadores, ao menos sete propostas.

Na segunda-feira, o mercado de câmbio fica desfalcado das operações em São Paulo, que comemora o feriado da Revolução Constitucionalista de 1932.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

OS MAIS BEM PAGOS
Conheça os atletas mais bem pagos da temporada
SAIR DO SUFOCO
Empréstimo pessoal com garantia facilita quitação de dívidas
E AÍ QUAL DAS DUAS OPÇÃO - VEJA
Contratar uma agência de marketing ou investir em uma equipe interna?
COVARDIA
Pai é preso acusado de agredir o filho de apenas cinco meses
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': León destrói rosto de Valentina e ela descobre o segredo da fonte
TERRORISMO
Bolsonaro sofre ameaças de morte em vídeos na internet
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele