Menu
RIO_DOURADOS
SADER_FULL
Busca
SUCURI_MEGA
Brasil

Apesar do nervosismo, vôlei do Brasil vence Japão

14 Ago 2004 - 08h39
O nervosismo foi visivelmente notável na primeira partida da Seleção Brasileira feminina de vôlei contra o Japão. O time comandado por Zé Roberto venceu por 3 sets a 0, com parciais de 25 x 21, 25 x 22 e 25 x 21. Apesar do placar confirmando a superioridade do time feminino, as brasileiras demonstraram nervosismo e foram vítimas de seus próprios erros. Além disso, o Brasil, que já não costuma forçar o saque, desperdiçou muitos serviços.

A líbero Arlene não realizou uma boa partida, cometendo alguns erros simples. A jogadora só se encontrou no último set. Já Mari e Virna trabalharam bem as bolas de segurança de Fernanda Venturini e Valeskinha mostrou força no bloqueio e no meio-de-rede, ao lado de Walewska. Mas, a principal vantagem foi estrear contra uma equipe que apesar de ter volume de jogo, carece de força no ataque.

O jogo set a set

O Brasil começou a partida abrindo 4 a 0, no entanto deixou as japonesas encostarem no placar em 6 a 5. A partir daí, mesmo estando sempre à frente no placar, as brasileiras passaram a cometer os chamados "erros bobos". "Estamos defendendo, mas ficamos afobadas no contra-ataque", reclamou Virna durante um tempo técnico. E foi o desperdício de contra-ataques que deixou o Japão perto do placar. O Brasil soube administrar o placar o fechou em 25 a 21.

No segundo set do jogo, o Brasil passou a maior parte do set jogando com consciência. As levantadas de Fernanda foram o diferencial, corrigindo bolas difíceis da recepção e possibilitando ataques forte de Virna, Mari e Érika e ainda trabalhando com o meio-de-rede. A falta de força do ataque japonês possibilitou boas defesas do lado brasileiro e contra-ataques. No entanto, os próprios erros da equipe voltaram a apareceram e deixaram as japonesas gostarem do jogo a partir do 20º ponto. Novamente, o time manteve a vantagem e terminou com 25 a 22.

O último set da partida serviu para a líbero Arlene se recuperar no jogo e realizar belas defesas. Mas, ainda assim, o Brasil continuou desperdiçando saques. A japonesas tentaram usar mais a força ou surpreender com as bolas "deixadinhas", nem um pouco características da escola asiática. A atacante Mari não economizou força e fez belos pontos pelo meio, atrás da linha dos 3 metros, ignorando qualquer presença do bloqueio adversário.

De novo, ao se aproximar do 20º ponto, o time deu uma parada e possibilitou um ace das japonesas, em um erro de golpe de vista da Arlene, e ataques japoneses que, mesmo sendo amortecidos pelo bloqueio brasileiro, não tiveram cobertura. O jogo acabou em 25 a 21.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

Acerto de Contas
Mulher é assassinada e companheiro é poupado pelos bandidos
Macabro
Filho que escondeu corpo de pai pode ser indiciado por três crimes
Novela
'Deus salve o rei': Catarina (Bruna Marquezine) mata Constantino
Novela Global
'Outro lado': Gael luta contra violência doméstica no fim
Monstro
Câmera flagra irmão à procura de menina que teria sido abusada por prefeito de Bariri
Perigo do Selfie
Três garotas caem de ponte de 20 metros ao tirarem fotos em Castelo
Campanha de filiações
Prisão de Lula faz disparar filiações ao PT
O Apocalipse
Arthur (Junno Andrade) fala na TV que Ricardo (Sergio Marone) ressuscitou em seu velório
BBB 18 - Vencedora
Veja a casa de Gleici, do'BBB 18': Sister teve o pai assassinado pelo tráfico e passou fome
Concurso Público
Polícia Federal publica autorização para promover concurso público com 500 vagas