Menu
SADER_FULL
sexta, 18 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Anvisa suspende medicamento Vioxx por riscos cardíacos

1 Out 2004 - 08h10
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou nesta quinta-feira (30/09) a suspensão cautelar da comercialização e uso do rofecoxibe, princípio ativo exclusivo da Merck Sharp Dohme que compõe o antiinflamatório Vioxx, produzido pela empresa.

A medida foi tomada depois que a Merck Sharp Dohme informou à agência, ao FDA (Food and Drug Administration), órgão regulador de medicamentos nos Estados Unidos, e demais autoridades sanitárias a retirada do mercado mundial do remédio por riscos de eventos cardiovasculares graves, incluindo ataque cardíaco e derrame.

Em comunicado, a empresa afirma que um estudo, realizado durante três anos, revelou um maior risco de problemas cardiovasculares, como "um ataque cardíaco ou um derrame cerebral", a partir do 18º mês após o início do tratamento.

"Adotamos esta ação porque achamos que é do interesse dos pacientes", disse Raymond Gilmartin, presidente e diretor-gerente da Merck, no comunicado.

Segundo diretor da FDA Steven Galson, o resultado desta pesquisa não é totalmente uma surpresa. Estudo anterior já avia levado o órgão, em abril de 2002, a ordenar à Merck uma mudança no rótulo do medicamento para advertir sobre os riscos de problemas cardíacos. O que o órgão não sabia é que os problemas podiam ser tão sérios.

A FDA informou que outros medicamentos contra dor e inflamações que são elaborados com o mesmo princípio ativo do Vioxx também serão analisados para verificar se apresentam riscos à saúde.

O fabricante do Vioxx recomenda ao paciente que se trata com o medicamento para procurar seu médico para que estes possam receitar analgésicos alternativos. No Brasil, pacientes e médicos podem obter mais informações no site da Merck ou pelo telefone 0800-122232.

O Vioxx foi lançado ao mercado nos Estados Unidos em 1999 e comercializado em mais de 80 países, em alguns deles sob o nome de Ceoxx.

Mercado
A notícia fez com que as ações da empresa caíssem quase 27% no mercado de Nova York, onde meia hora após o início da sessão estavam cotadas em torno de US$ 33.

As vendas de Vioxx, um dos produtos mais comercializados da Merck Sharp Dohme, consumido no mundo todo por milhões de pessoas que sofrem de artrite para aliviar a dor, representaram US$ 2,5 bilhões no ano passado para a empresa, que rebaixou suas projeções de ganhos devido à decisão.

Antes do anúncio, a Merck estimava que neste ano teria um ganho variando entre US$ 3,11 e US$ 3,17 o título, mas a decisão terá um impacto negativo em seus resultados, que podem ser inferiores em US$ 0,5 ou US$ 0,6 por ação.

A companhia deve anunciar seus ganhos do terceiro trimestre em 21 de outubro, quando se conhecerá melhor o impacto real da retirada do medicamento.

Com informações das agências EFE e Reuters.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares