Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 19 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

André e Delcídio fecham acordo para eleições de 2014

23 Jul 2007 - 08h00

O governador André Puccinelli (PMDB) e o senador Delcídio do Amaral (PT) já articulam acordo para alternância na Governadoria e no Senado Federal. A data ainda está um pouco distante – as eleições de 2014 -, mas o cenário já está sendo armado. Fontes seguras informam ao Midiamax que embora de partidos diferentes, e aparentemente imiscíveis em Campo Grande, os dois mantêm um bom diálogo. Os maiores prejudicados com a aliança seriam o ex-governador Zeca do PT e o prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), se este tiver intenção de chegar a governador.

Por enquanto, o que o senador confirma é que seu projeto é dentro do PT. Mas, para se manter no PT, o primeiro passo de Delcídio seria a obtenção do controle da Executiva estadual da legenda durante o PED (Processo de Eleição Direta). A data para o PED será definida no Congresso Nacional do PT, marcado para o final de agosto. O PED deve ser marcado para janeiro ou fevereiro de 2008.

Portanto, Delcídio vai correr o risco de concorrer novamente com o grupo de Zeca. Com o ex-governador estão o atual presidente estadual do partido, Mariano Cabreira, o deputado federal Vander Loubet e o deputado estadual Paulo Duarte.

Delcídio, que no último PED apenas fez dupla com Antônio Carlos Biffi, e perdeu, dessa vez pode ter o grupo ampliado com: os deputados estaduais Pedro Kemp e Amarildo Cruz, o ex-deputado federal João Grandão, entre outros.

Zeca e Delcídio não ocultam que ambos têm a pretensão de concorrer ao Senado. Mas, enfim, o PT demonstra ser pequeno demais para coexistência pacífica entre os dois. Qualquer deles que vencer as eleições diretas “expulsa” o outro da sigla. Se Delcídio vence, Zeca estaria “morto” no PT; se Zeca vence, o senador é que abandona o navio.

Entretanto, mesmo que o senador não vença as eleições diretas – e nesse caso migraria para outro partido – o acordo com Puccinelli estaria mantido. O italiano disputaria o Senado depois de oito anos à frente do governo do Estado e o corumbaense disputaria o assento no Parque dos Poderes.

Reestruturação

Porém, por telefone, o senador Delcídio confirmou apenas que o seu projeto é dentro do PT. “Tenho dado demonstrações do meu empenho, tentando unir o partido”. O que ele defendeu em entrevista é a reestruturação do partido.

Segundo ele, se o PT não se organizar, não buscar corretamente alianças e não se unir não adianta ter candidato competitivo, neste caso, ele próprio, já que é o petista que apresenta a melhor performance para a Prefeitura da Capital, nas pesquisas de intenção de voto.

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado