Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 20 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

André e Delcídio fecham acordo para eleições de 2014

23 Jul 2007 - 08h00

O governador André Puccinelli (PMDB) e o senador Delcídio do Amaral (PT) já articulam acordo para alternância na Governadoria e no Senado Federal. A data ainda está um pouco distante – as eleições de 2014 -, mas o cenário já está sendo armado. Fontes seguras informam ao Midiamax que embora de partidos diferentes, e aparentemente imiscíveis em Campo Grande, os dois mantêm um bom diálogo. Os maiores prejudicados com a aliança seriam o ex-governador Zeca do PT e o prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), se este tiver intenção de chegar a governador.

Por enquanto, o que o senador confirma é que seu projeto é dentro do PT. Mas, para se manter no PT, o primeiro passo de Delcídio seria a obtenção do controle da Executiva estadual da legenda durante o PED (Processo de Eleição Direta). A data para o PED será definida no Congresso Nacional do PT, marcado para o final de agosto. O PED deve ser marcado para janeiro ou fevereiro de 2008.

Portanto, Delcídio vai correr o risco de concorrer novamente com o grupo de Zeca. Com o ex-governador estão o atual presidente estadual do partido, Mariano Cabreira, o deputado federal Vander Loubet e o deputado estadual Paulo Duarte.

Delcídio, que no último PED apenas fez dupla com Antônio Carlos Biffi, e perdeu, dessa vez pode ter o grupo ampliado com: os deputados estaduais Pedro Kemp e Amarildo Cruz, o ex-deputado federal João Grandão, entre outros.

Zeca e Delcídio não ocultam que ambos têm a pretensão de concorrer ao Senado. Mas, enfim, o PT demonstra ser pequeno demais para coexistência pacífica entre os dois. Qualquer deles que vencer as eleições diretas “expulsa” o outro da sigla. Se Delcídio vence, Zeca estaria “morto” no PT; se Zeca vence, o senador é que abandona o navio.

Entretanto, mesmo que o senador não vença as eleições diretas – e nesse caso migraria para outro partido – o acordo com Puccinelli estaria mantido. O italiano disputaria o Senado depois de oito anos à frente do governo do Estado e o corumbaense disputaria o assento no Parque dos Poderes.

Reestruturação

Porém, por telefone, o senador Delcídio confirmou apenas que o seu projeto é dentro do PT. “Tenho dado demonstrações do meu empenho, tentando unir o partido”. O que ele defendeu em entrevista é a reestruturação do partido.

Segundo ele, se o PT não se organizar, não buscar corretamente alianças e não se unir não adianta ter candidato competitivo, neste caso, ele próprio, já que é o petista que apresenta a melhor performance para a Prefeitura da Capital, nas pesquisas de intenção de voto.

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele
CRUELDADE
Idosa de 106 anos é assassinada a pauladas no Maranhão
NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)