Menu
CÂMARA VICENTINA OUTUBRO 2019
segunda, 21 de outubro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CIA DO BICHO
Brasil

Alunos de escolas públicas terão aula sobre povos indígenas

16 Abr 2007 - 15h52
 

Os alunos do ensino fundamental e ensino médio das escolas públicas de Mato Grosso do Sul terão nesta semana em que se comemora o Dia do Índio (19 de abril), uma aula especial, dedicada a análise da situação dos povos indígenas no Estado e no País.

O objetivo da aula da cidadania, que será promovida pela Federação dos Trabalhadores em Educação (Fetems) em parceria com as direções das escolas estaduais e municipais é fazer com que os alunos reflitam sobre os direitos dos índios, a discriminação que esses povos sofrem, suas particularidades e seus costumes.

Segundo a Fetems, cada escola escolhe a melhor data para a realização da aula. Para subsidiar o trabalho dos professores foram encaminhados aos colégios 50 mil jornais que abordam todos esses temas. A expectativa com esse trabalho de conscientização é atingir mais de 450 mil alunos.

Em alguns colégios, como a Escola Estadual Rui Barbosa, em Campo Grande a aula da cidadania será ministrada já nesta terça-feira, enquanto que outros optaram por oferecer a aula no decorrer da semana e especialmente na quinta-feira, data em que se comemora o Dia do Índio.

A Federação entende que a escola deve ser palco de debates sobre os mais diversos temas sociais, como discriminação racial, violência contra mulher, gêneros, sem terra, e povos indígenas. A realidade das etnias, suas características e dificuldades devem fazer parte das discussões em sala de aula.

População indígena

Segundo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população indígena cresceu em média 10,8% na última década, isso significa que eles estão retomando seus territórios e conquistando representatividade.

Mato Grosso do Sul possui uma população indígena de mais de 60 mil pessoas, divididas em oito povos: Guarani, divididos nos sub-grupos Guarani – Kaiowá e Guarani – Ñandeva, os Terenas, Atikum, Kadiwéu, Ofaié, Guató, Kamba e Kinikinaw. Cada um possui uma forma de viver diferente, desde a religião, língua, mitos e até mesmo os traços no artesanato não são iguais.

 

 

Fetems

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
Mulher desaparecida foi encontrada enterrada com braço para fora em canavial
TRAGEDIA NA RODOVIA
Violenta colisão entre caminhões mata os dois motoristas
ACIDENTE EM RIO
Barco com seis pessoas vira no Rio. Duas estão desaparecidas
TRISTEZA
Populares encontram corpo de criança desaparecida dentro de córrego
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Reforma da Previdência dos militares pode aumentar salários em até 75%
CENTENÁRIO
Aos 92 anos, Cid Moreira participa de festa pelo centenário de Orlando Drummond
POLEMICA
Sobrinho-neto do pastor Malafaia diz que família o mandou para cura gay: 'Um terror psicológico'
DOENÇA DO SÉCULO
Nego do Borel passa a limpo polêmicas em que se envolveu: Deus não me deixou entrar em depressão
MS FORTE
MS sobe duas posições no Ranking da Competitividade e é 2º em crescimento no cenário nacional
NOVELA GLOBAL
A Dona do Pedaço: Maria da Paz dá rasteira em Fabiana