Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 22 de julho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Alunos de escolas públicas terão aula sobre povos indígenas

16 Abr 2007 - 15h52
 

Os alunos do ensino fundamental e ensino médio das escolas públicas de Mato Grosso do Sul terão nesta semana em que se comemora o Dia do Índio (19 de abril), uma aula especial, dedicada a análise da situação dos povos indígenas no Estado e no País.

O objetivo da aula da cidadania, que será promovida pela Federação dos Trabalhadores em Educação (Fetems) em parceria com as direções das escolas estaduais e municipais é fazer com que os alunos reflitam sobre os direitos dos índios, a discriminação que esses povos sofrem, suas particularidades e seus costumes.

Segundo a Fetems, cada escola escolhe a melhor data para a realização da aula. Para subsidiar o trabalho dos professores foram encaminhados aos colégios 50 mil jornais que abordam todos esses temas. A expectativa com esse trabalho de conscientização é atingir mais de 450 mil alunos.

Em alguns colégios, como a Escola Estadual Rui Barbosa, em Campo Grande a aula da cidadania será ministrada já nesta terça-feira, enquanto que outros optaram por oferecer a aula no decorrer da semana e especialmente na quinta-feira, data em que se comemora o Dia do Índio.

A Federação entende que a escola deve ser palco de debates sobre os mais diversos temas sociais, como discriminação racial, violência contra mulher, gêneros, sem terra, e povos indígenas. A realidade das etnias, suas características e dificuldades devem fazer parte das discussões em sala de aula.

População indígena

Segundo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população indígena cresceu em média 10,8% na última década, isso significa que eles estão retomando seus territórios e conquistando representatividade.

Mato Grosso do Sul possui uma população indígena de mais de 60 mil pessoas, divididas em oito povos: Guarani, divididos nos sub-grupos Guarani – Kaiowá e Guarani – Ñandeva, os Terenas, Atikum, Kadiwéu, Ofaié, Guató, Kamba e Kinikinaw. Cada um possui uma forma de viver diferente, desde a religião, língua, mitos e até mesmo os traços no artesanato não são iguais.

 

 

Fetems

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONCURSOS
Ao menos 12 órgãos abrem inscrições para preencher quase 800 vagas
VICENTINA SENDO REPRESENTADA NO RJ
Vicentina será representada no Internacional de Masters South América de Jiu-jitsu no Rio de Janeiro
POLITICA
'Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira', afirma Bolsonaro
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz se recusa a enxergar caráter de Josiane em 'A dona do pedaço'
REGIME SEMIABERTO
Goleiro Bruno deve sair da cadeia no fim da tarde desta sexta-feira
CASO RARO
Bezerro de seis patas chama atenção moradores de Santa Helena – Veja Vídeo
MONSTRUOSIDADE
Vizinho é preso suspeito de estuprar e estrangular menina de 8 anos
CASA PRÓPRIA
Recurso de R$ 1 bilhão é destinado ao Minha Casa, Minha Vida
VIDA SAUDÁVEL
Homem mais velho do Brasil falece no Rio de Janeiro
BASTA DE IMPRUDÊNCIA
Enlutada pelas mortes, população deixa faixa contra imprudência na PR-082