Menu
SADER_FULL
sexta, 22 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Alimentos probióticos e prebióticos ajudam no tratamento de câncer

10 Set 2010 - 18h15Por Agência Notícia

O câncer colon-retal é o terceiro mais prevalente atualmente. Segundo Fabiana Denipote, Erasmo Benício Trindade e Roberto Carlos Burini, seu tratamento ainda está associado a elevado risco de complicações, sendo necessário, assim, a elaboração de novas estratégias. No estudo, “Probióticos e probióticos na atenção primária ao câncer de cólon“, os pesquisadores dizem que a ingestão de alimentos probióticos, prebióticos ou a combinação de ambos – os simbióticos – representa uma nova opção terapêutica para o problema. A pesquisa foi publicada este ano nos Arquivos de Gastroenterologia.  

Os autores explicam que probióticos são microrganismos vivos, que, administrados em quantidades adequadas, trazem benefícios à saúde do hospedeiro. Um exemplo, são os leites fermentados. Já os prebióticos são ingredientes nutricionais não digeríveis que funcionam como o "alimento" das bactérias probióticas, estimulando seletivamente o seu crescimento e atividade. Os prebióticos podem ser obtidos, por exemplo, através de sementes e raízes de alguns vegetais como a chicória, cebola, alho e alcachofra. Da interação dos dois, surgem os alimentos simbióticos, mostra a pesquisa.  

“Alguns mecanismos explicam como as bactérias contribuem para a causa do câncer de cólon e reto, sendo um deles a presença de alterações na microflora intestinal, que facilitam o desenvolvimento de processos inflamatórios. Outro fator contribuinte é a promoção da ativação de componentes carcinogênicos e a produção de compostos mutagênicos, como os radicais livres”, explicam.

Segundo os pesquisadores, o consumo de alimentos probióticos, prebióticos e simbióticos pode, então, oferecer algum efeito protetor contra esses problemas. “Pressupõe-se que microorganismos selecionados seriam capazes de proteger o hospedeiro contra atividades carcinogênicas, através de três mecanismos:

1- Os probióticos seriam capazes de inibir as bactérias responsáveis por converter substâncias pré-carcinogênicas (como os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos e nitrosaminas) em carcinogênicas; 2- Estudos em animais de laboratório têm demonstrado que alguns probióticos inibem diretamente a formação de células tumorais; 3- Algumas bactérias da flora intestinal têm mostrado capacidade de ligação e/ou inativação carcinogênica”, explicam.  

Para eles, possuir um conjunto saudável de microorganismos habitando o intestino é importante, pois resulta em um correto desempenho das funções fisiológicas do hospedeiro e propicia melhor qualidade de vida aos indivíduos. “No entanto, ainda é baixo o número de indivíduos que cumprem com essa recomendação, sendo os profissionais de saúde responsáveis por manter e disseminar conhecimentos atualizados sobre o tema e colocar em prática seu uso”, criticam.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara
AMOR A PROFISSÃO
Pedreira caprichosa viraliza com trabalho detalhista e ganha novos clientes
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
O Boticário apresenta Quasar Brave, venha conferir no O Boticário em Fátima do Sul
SUPERAÇÃO
Jovem que morou 5 anos nas ruas se forma em Direito