Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 21 de setembro de 2019
CACAU SHOW FÁTIMA DO SUL 0
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Algodão acumula desvalorização de 36,3% neste ano

16 Jul 2004 - 16h58
O sinal amarelo foi aceso em uma das mais promissoras culturas em expansão do país. Os produtores de algodão começam a ficar atentos ao comportamento dos preços internacionais do algodão, que na bolsa de Nova York já acumulam desvalorização de 36,3% neste ano. A queda reflete a demanda enfraquecida no mercado internacional e o possível aumento da produção de algodão nos Estados Unidos.Estimulados pelos bons volumes comprometidos com o mercado externo, os produtores do país, sobretudo do Centro-Oeste, já traçavam planos para elevar a área plantada de algodão para a safra 2004/05. Contudo, os ânimos dos produtores começaram a esfriar por conta do recuo das cotações no mercado externo.

Nesta safra, os produtores estão colhendo um volume recorde, de 1,2 milhão de toneladas de algodão, informou Jorge Maeda, presidente da Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão). Maeda está participando da 10º Clube da Fibra, em Buenos Aires. Em entrevista por telefone, Maeda disse que os produtores vão acompanhar o desempenho dos preços do algodão. "Até o mês de outubro, os produtores vão definir sua posição para a nova safra."

Mesmo com o desempenho baixista no mercado, os produtores brasileiros estão otimistas com o aumento das exportações do algodão, afirmou Antonio Carlos Zem, presidente da FMC e do Sindag (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola), que também participou do congresso do algodão.

"O Brasil já participa com 3% nas exportações mundiais do algodão e deve aumentar sua fatia", afirmou o executivo.

Nesta atual safra, o Brasil deve exportar 450 mil toneladas de algodão. A expectativa é de que em 2004/05 sejam embarcadas 600 mil toneladas, das quais 20% já estão fixadas e comprometidas.

Segundo Maeda, os produtores podem puxar o freio na intenção de plantio, mas não devem reduzir a área plantada. "Podemos repetir a mesma área, mas não voltaremos atrás", disse.

No mercado interno, os preços seguem sem sustentação por conta da colheita de algodão no Centro-Oeste do país, maior região produtora. O índice Cepea/Esalq para o algodão acumula neste mês de julho retração de 3,2%. Na sexta-feira, fechou a R$ 1,60 a libra-peso no mercado de São Paulo.

 

Globo Rural Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

ACIDENTE GRAVE
Acidente com van escolar deixa dez crianças feridasí; duas estão em estado grave
NOVELA GLOBAL
Em 'A dona do pedaço', Rock é dopado, perde luta e Paixão é anunciado campeão
TRAGÉDIA NA CIDADE
Assassinato de 3 pessoas e um suicídio assusta moradores de cidade
MORTE TRAGICA
Mulher morre após ter 98% do corpo queimado ao acender churrasqueira
CRIME DESVENDADO
Autor do Crime da Mala é identificado 11 anos depois por exame de DNA
FAMOSIDADES
Neymar paga salário de quase R$ 50 mil por mês para cada parça
ATENTADO NA ESCOLA
Aluno esfaqueia professor em escola e se fere em seguida; aulas são suspensas
CAMPO BELO RESORT
Atenção Escolas, o Campo Belo Resort é o lugar perfeito para receber grupo escolar, VEJA COMO
FÁTIMA DO SUL - CACAU SHOW
Surpreenda quem você ama com lindas cestas na Cacau Show de Fátima do Sul
FALAM EM MILAGRE
Túmulo que verte água em cidade do Paraná intriga moradores. Não há explicação