Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 18 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Álcool pode fazer bem para cardíacos, diz pesquisa

14 Set 2004 - 07h22
Beber álcool de forma 'moderada' pode ajudar na recuperação de pacientes que passaram por cirurgia cardíaca, segundo uma pesquisa de universidade na Alemanha.

Homens que beberam seis ou mais unidades de álcool por semana depois de cirurgia para desbloqueio de artérias tiveram menos chances de ter as artérias bloqueadas novamente. Eles tiveram metade das chances de ter que refazer a cirurgia de desbloqueio do que homens que não beberam ou beberam pouco álcool.

A pesquisa da Universidade de Heidelberg foi publicada no jornal Heart.

Moderação
As evidências sugerem que as pessoas que bebem uma unidade de álcool por dia têm menor risco de ataque cardíaco, doenças crônicas do coração ou morte por ataque de coronárias do que aqueles que bebem muito ou não bebem.

Uma unidade de álcool corresponde a 10 ml de álcool puro. Por exemplo, equivale a um cálice de vinho, 225 ml de cerveja ou uma medida de bebida destilada. A quantidade de álcool varia, de acordo com o produto.

O médico Christiane Tiefenbacher e seus colegas constataram que o álcool, com moderação, pode ajudar na recuperação de pacientes que passaram por angioplastia.

Essa é uma técnica menos invasiva de desbloqueio de artérias do que a cirurgia para implantação de um marca-passo e envolve a inserção de um pequeno tubo para manter a artéria aberta. Algumas vezes, a artéria pode ficar bloqueada novamente, normalmente dentro dos primeiros quatro meses depois da cirurgia.

A equipe de Heidelberg investigou os hábitos de ingestão de álcool de 225 homens nos quatro meses seguintes à angioplastia. Eles descobriram que 53 pacientes beberam por semana menos de 50g de álcool (10 ml equivalem a 8 gramas). Isso corresponde a cerca de seis unidades. Outros 172 pacientes beberam mais de 50g, e 21, entre 350g e 700g - entre 40 e 87 unidades - de álcool por semana.

Aqueles que bebiam pouco ou nenhum álcool tiveram mais bloqueio das artérias, pior funcionamento cardíaco e níveis de colesterol mais elevados do que aqueles que beberam mais de 50g por semana. Aqueles que bebiam mais de 50g por semana tiveram menos probabilidades de ter as artérias bloqueadas novamente e, por isso, menos probabilidade de passar por nova angioplatia.

Os autores disseram que isso não significa que homens devem começar a beber depois de cirurgia cardíaca. "O resultado reforça o fato de que os consumidores moderados de álcool com perfil de risco cardíaco não devem ser aconselhados a parar de beber", disseram os pesquisadores.

O diretor da Herat British Foundation, Sir Charles George, disse que a "mensagem é clara, álcool não aumenta os riscos depois de uma angioplastia e pode ser benéfico". "Aqueles que consomem álcool, podem continuar, mas não há necessidade de os abstêmios mudarem seu estilo de vida."

 

BBC Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
SUPERAÇÃO
Pedreiro cadeirante enfrenta difilculdades e sustenta a família trabalhando em obras