Menu
SADER_FULL
sexta, 23 de agosto de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Agropecuária é quem mais geram emprego com carteira em MS

26 Abr 2007 - 04h11
 

A agricultura e a pecuária continuam liderando a geração de emprego formal em Mato Grosso do Sul, segundo levantamento divulgado hoje pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.

Em março, o segmento teve um percentual de contratações com carteira assinada de 4,82%. Foram contratados no período 7.392 trabalhadores e demitidos 4.240, acumulando um saldo de 3.154.

Somados os três primeiros meses do ano, o desempenho da agropecuária na geração de emprego é ainda melhor, de 15,6%. No trimestre foram contratados formalmente, com carteira assinada e todos os direitos trabalhistas, 18.469 pessoas, demitidas do setor 9.240, o que representou um saldo de 9.229.

Atrás da agricultura e pecuária, o segmento que apresentou o melhor desempenho na geração de empregos formais no Estado foi o da indústria de transformação. Em março, o segmento contratou 4.347 trabalhadores, demitiu 2.799, o que representou a criação de vagas com carteira assinada de 2,8%, o equivalente a 1.548 novos postos.

No primeiro trimestre a variação positiva é ainda melhor para o setor. Foram admitidos 10.383 trabalhadores, demitidos 7.265, o que representou um saldo de 3.118 e variação de 5,81%.

Estado

Os números do Caged para o Estado mostram que em março houve uma variação positiva na geração de empregos de 1,68%, sendo contratados 21.278 trabalhadores, dispensados 15.755, o que resultou em um saldo de 5.523 novas vagas abertas.

No trimestre (janeiro, fevereiro e março), o índice de Mato Grosso do Sul é de 4,04%, com a contratação de 55.007 pessoas, demissão de 42.031 e saldo positivo de 12.976 admissões.

Mais demitiu

Em março, o setor que mais demitiu em Mato Grosso do Sul, foi o de serviços industriais e de utilidade pública. Foram 87 demissões, contra apenas 54 contratações, representando saldo negativo de 33 dispensas, o equivalente a -1,12%.

Nos três primeiros meses de 2007, entretanto, o segmento que acumula mais demissões é o da construção civil. No total foram demitidas na área 3.527 pessoas, e contratadas apenas 3.045, o que resultou em uma variação negativa de 482 demissões ou 3,71%.

 

 

TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção