Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 23 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Agropecuária é quem mais geram emprego com carteira em MS

26 Abr 2007 - 04h11
 

A agricultura e a pecuária continuam liderando a geração de emprego formal em Mato Grosso do Sul, segundo levantamento divulgado hoje pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.

Em março, o segmento teve um percentual de contratações com carteira assinada de 4,82%. Foram contratados no período 7.392 trabalhadores e demitidos 4.240, acumulando um saldo de 3.154.

Somados os três primeiros meses do ano, o desempenho da agropecuária na geração de emprego é ainda melhor, de 15,6%. No trimestre foram contratados formalmente, com carteira assinada e todos os direitos trabalhistas, 18.469 pessoas, demitidas do setor 9.240, o que representou um saldo de 9.229.

Atrás da agricultura e pecuária, o segmento que apresentou o melhor desempenho na geração de empregos formais no Estado foi o da indústria de transformação. Em março, o segmento contratou 4.347 trabalhadores, demitiu 2.799, o que representou a criação de vagas com carteira assinada de 2,8%, o equivalente a 1.548 novos postos.

No primeiro trimestre a variação positiva é ainda melhor para o setor. Foram admitidos 10.383 trabalhadores, demitidos 7.265, o que representou um saldo de 3.118 e variação de 5,81%.

Estado

Os números do Caged para o Estado mostram que em março houve uma variação positiva na geração de empregos de 1,68%, sendo contratados 21.278 trabalhadores, dispensados 15.755, o que resultou em um saldo de 5.523 novas vagas abertas.

No trimestre (janeiro, fevereiro e março), o índice de Mato Grosso do Sul é de 4,04%, com a contratação de 55.007 pessoas, demissão de 42.031 e saldo positivo de 12.976 admissões.

Mais demitiu

Em março, o setor que mais demitiu em Mato Grosso do Sul, foi o de serviços industriais e de utilidade pública. Foram 87 demissões, contra apenas 54 contratações, representando saldo negativo de 33 dispensas, o equivalente a -1,12%.

Nos três primeiros meses de 2007, entretanto, o segmento que acumula mais demissões é o da construção civil. No total foram demitidas na área 3.527 pessoas, e contratadas apenas 3.045, o que resultou em uma variação negativa de 482 demissões ou 3,71%.

 

 

TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico