Menu
SADER_FULL
segunda, 25 de março de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Agricultores trocam o cultivo de milho pelo de soja no PR

8 Set 2004 - 08h56
Os produtores mais uma vez estão trocando o milho pela soja no Paraná. Dados do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Paraná (Seab) indicam redução de 5% na área de milho para a safra 2004/05, que deve ficar em 1,28 milhão de hectares. A soja deve bater novo recorde, com de 4 milhões de hectares. "Apesar de o mercado internacional de milho apresentar melhores perspectivas no médio e no curto prazo, o produtor prefere a soja em função da maior estabilidade do mercado, comercialização e liquidez ", afirma Vera Zardo, engenheira agrônoma do Deral.

Maior produtor nacional, o estado deverá produzir, em condições climáticas normais, 7,2 milhões de toneladas de milho na safra 2004/05, 4% menos que neste ano. Cerca de 80% do plantio é feito em setembro e outubro e 19% em novembro e dezembro.

Segundo relatório do Deral, a produção do milho não será suficiente para o consumo, estimado em 7,7 milhões de toneladas somente no Paraná. "Considerando que os estoques de passagem serão menores do que os de 2004, o estado mais uma vez deverá depender da produção da safrinha no próximo ano para complementar o abastecimento", afirma Vera Zardo. Para o Deral, da oferta total de milho – safra de verão e safrinha – de 11,2 milhões de toneladas, restam 4,97 milhões de toneladas para serem comercializadas.

Além da queda do preço da soja, a alta do custo de produção, por causa dos reajustes nos preços de itens como sementes, fertilizantes e mão-de-obra, desestimula o produtor. Na região oeste do Paraná, o custo de produção aumentou 15%, de R$10,61 por saca, para R$ 12,22 a saca. O preço médio do milho no Paraná está estável na maior parte das regiões, em torno de R$ 15,38 a saca. "O mercado interno permanece lento com poucos negócios e a sustentação dos preços é atribuída aos leilões de opção do governo federal", diz Vera. No curto prazo, segundo ela, não há perspectivas de aumento dos preços.

Em quase todas as regiões do estado há estimativa de redução de plantio de milho: no Norte, a diminuição é de 14%; no Centro-Oeste de 11,0%; no Oeste 7,5%, Sudoeste 3,3% e Sul 1,9%.

A soja deve ter a área ampliada nas principais regiões produtoras. A área total chegará a 4,069 milhões de hectares, 3,4% mais que no ano anterior, com destaque para a região Norte, que aumentará a área em 5,3%; Noroeste, em 2,4% e Oeste, em 1,2%; sudoeste, em 4,3% e sul em 3,9%. A produção de soja deve alcançar a marca de 12,4 milhões de toneladas, 24,8% acima da safra 2003/04, prejudicada pela estiagem que reduziu o volume para 9,9 milhões de toneladas.
 
Gazeta Mercantil

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATIMA DO SUL - JULIFRAN
Julifran Restaurante promete chopp grátis a cada gol de Borja sobre Novorizontino
BONITO - MS - AGÊNCIA BONITO ECO TOUR
Faça o que lhe faz bem! Viaje para Bonito MS!
CIUMES
Marido vê foto de outro no celular e agride mulher na cabeça e a joga para fora do carro
ORAÇÕES
Estado de saúde de Cláudia Rodrigues (a diarista) é grave
PAULISTÃO IV
“Hoje foi realmente a estreia do São Paulo”, diz Mancini após vitória
PAULISTÃO III
Carille vê Corinthians abaixo: “Fomos premiados com o empate”
PAULISTÃO II
Com falha e ‘milagre’ de Prass, Palmeiras busca empate com gol de estreante
PAULISTÃO
Santos aproveita falhas do Red Bull e abre boa vantagem no Pacaembu
MOSTRA MONITORAMENTO
Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação
CRIME NA MADRUGADA
Mulher é brutalmente assassinada; carro foi visto deixando o local