Menu
SADER_FULL
sexta, 24 de janeiro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
BANNER BET
Brasil

Agora Argentina dificulta importação de autopeças brasileira

30 Jul 2004 - 14h50

Depois de colocar entraves para a importação de eletrodomésticos brasileiros, o governo argentino agora decidiu criar barreiras para as autopeças.

Na quarta-feira, o governo assinou decreto em que limita a 40% do valor total do automóvel a presença de autopeças importadas. O Brasil é o principal fornecedores de autopeças da Argentina.

A lei argentina também reduziu de 14% para 2% a tarifa de importação de autopeças produzidas fora do Mercosul. A medida tem como objetivo baratear a importação de peças produzidas fora da zona de comércio comum e, conseqüentemente, reduzir os custos de produção. Hoje a Argentina importa 29 tipos de autopeças.

O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, irá se reunir na próxima semana com o fórum de competitividade do setor automotivo, que reúne montadoras e fabricantes de autopeças no país vizinho. Eles irão discutir novas estratégias para corrigir as "assimetrias" com o Brasil, segundo o diário "La Nacion".

No início do mês, a Argentina lançou uma série de medidas para reduzir as importações de eletrodomésticos brasileiros. Agora, os vizinhos miram os carros.

Entre as medidas que serão discutidas no fórum estão as sugestões para reforçar o mercado interno, como a melhoria do salário real e a oferta do crédito.

Segundo a Adefa (associação de fabricantes da Argentina), o país pode ser tão competitivo quanto o Brasil se as assimetrias forem eliminadas. A associação defende acordos comerciais com os EUA e com a União Européia.

Mais medidas

De acordo com o "La Nacion", nas próximas semanas o governo irá divulgar as melhorias no sistema de devolução de 10,5% do IVA (imposto sobre valor agregado) para a compra de máquinas.

As medidas protecionistas podem levar ao fracasso do regime automotivo do setor. O acordo, fechado em 2002, prevê a abertura total do mercado automotivo em 2006.

De acordo com a Adefa, o setor fará de tudo para cumprir os prazos, mas sempre terá em vista garantir o futuro da indústria automotiva na Argentina, segundo o jornal "Clarín".

O país deve produzir neste ano, segundo o "Clarín", 250 mil veículos.

No primeiro semestre o Brasil produziu 1,038 milhão de veículos, segundo a Anfavea (associação das montadoras).

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Três crianças morrem e uma mulher fica ferida durante incêndio em casarão
ESPORTE 2020
Opção de 'Cashout' atrai apostadores iniciantes
FUTEBOL 2020
Coritiba anuncia novo patrocinador máster para 2020
DOENÇA INFECCIOSA
Presos que estavam sendo 'comidos vivos' por doença são internados
HABITAÇÃO
Prefeita troca carnaval por doação de 52 moradias populares e ajuda a famílias carentes
ACIDENTE FATAL
Carreta sem freios atravessa pista, bate em dois carros matando 3 pessoas
TRAGICO ACIDENTE
Carro roda na pista e mata Pai e filha em trágico acidente
PEDOFILIA
Polícia prende pedófilo após pai se passar pela criança em conversa no WhatsApp
BURROCRACIA
Mulher sem mãos tem benefício negado por não poder assinar papel
MANÍACO DE MARITUBA
Adolescente faz sua segunda vítima atraída por promessas de emprego