Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 25 de agosto de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Agentes administrativos da PF cruzam os braços por 24h

11 Abr 2007 - 10h13

Os agentes administrativos da Polícia Federal de Mato Grosso do Sul cruzaram os braços nesta quarta-feira por 24 horas, assim como todos os demais Estados, conforme informou a representante do Sindicato dos Funcionários Administrativos da Polícia Federal, Dirce de Souza. Eles reivindicam que o governo federal encaminhe o PECPF (Plano Especial de Cargos da Polícia Federal), que ainda não foi levada para o Congresso Nacional.

Em Mato Grosso do Sul são 82 agentes, entre 62 ativos e 10 inativos, totalizando 4,4 mil servidores em todo o País. Os agentes reivindicam ainda a criação do PECPF e a realização de concurso para os profissionais de administração atuarem na área.

Com a paralisação, a emissão de passaportes e de protocolo para o pedido de certificado de antecedentes criminais são os mais prejudicados, já que diariamente passam cerca de 100 pessoas para solicitarem o documento, além de atrasar o setor estrangeiro e de produtos químicos.

“O setor administrativo tem um grande valor porque permeia a atividade policial, pois tudo passa pelo administrativo”, explica. A decisão de parar as atividades em todas as unidades da Federação foi tomada pelos servidores como um instrumento de pressão ao governo federal, que prometeu encaminhar o projeto de reestruturação para o Congresso até o mês de março, fato que não ocorreu.

Policiais

Já os policiais federais vão se reunir hoje à tarde com o ministro do Planejamento Paulo Bernardo para discutir a situação da categoria, conforme informou a presidente do Sindicato dos Policiais Federais, Cristiane do Valle. Ela ressalta que os policiais do Estado vão aguardar a reunião e dependendo do resultado irão realizar uma marcha rumo a Brasília (DF), ainda sem data definida.

O encontro estava marcado, inicialmente, para esta terça-feira em Brasília. "Aumenta a ansiedade", declarou Sandro Avellar, presidente da Associação Nacional dos Delegados da PF. Os federais querem imediato reajuste salarial de 30%, mas o governo resiste porque pretende impor contingenciamentos.

A base da reivindicação da PF é um documento assinado pelo criminalista Marcio Thomaz Bastos, que foi ministro da Justiça no primeiro mandato do presidente Lula. A pendência é o primeiro grande desafio do novo ministro da Justiça, Tarso Genro, que abriu negociação com os federais. A PF é subordinada à pasta dirigida por Tarso.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção