Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 22 de abril de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Afirmações da "Science" são frágeis e levianas, diz governo

22 Out 2004 - 17h14
O Ministério da Ciência e Tecnologia divulgou nota em que manifesta "estranheza e perplexidade" sobre a reportagem publicada pela "Science", que informa que o Brasil poderia construir até seis ogivas nucleares por
ano e que o motivo para evitar uma inspeção internacional na usina de Resende (RJ) seria esconder a origem das centrífugas, que, segundo a revista, usariam tecnologia copiada da Alemanha.

Segundo a nota, a argumentação do artigo é frágil, e os autores desconhecem a usina.

"A fragilidade da argumentação e leviandade das afirmações só podem ser devidas à uma grande desinformação ou a interesses escusos, ambos os motivos incompatíveis com uma revista científica do prestígio e tradição da 'Science'."

No dia 19 de outubro, uma missão da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) visitou a usina de Resende, mas os técnicos não tiveram acesso visual às centrífugas, onde é feito o enriquecimento do
urânio.

De acordo com a assessoria de imprensa, mesmo sem ver as centrífugas --elas ficam cobertas por um painel de alumínio--, a análise do restante da estrutura forneceria informações suficientes para saber como se dá o
enriquecimento do urânio --na usina, essa capacidade seria de 5%, enquanto para a construção de um bomba nuclear seria necessário um enriquecimento acima de 90% ou acima disso.

"Além dos registros e relatórios de material nuclear, existem verificações sobre a engenharia, verificações sobre a construção, análises destrutivas e não destrutivas do material, análises ambientais que permitem detectar, mesmo em partículas ínfimas (1/10.000.000.000.000 de grama!), o grau de enriquecimento e mesmo a estimativa da capacidade de enriquecimento da planta e sua efetiva utilização", explica a nota.

O ministério diz ainda que a posição da revista --ao dizer que enriquecer urânio a 3,5% já é meio caminho andado para se obter o material para a construção de uma bomba--, "equivale a dizer que nenhum
país pode ter acesso à tecnologia nuclear".

A nota termina afirmando que o Brasil cumpre todos os compromissos assumidos com a agência.
 
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRÔNICA DA SEMANA
CRÔNICA DA SEMANA: 'Precisamos redescobrir o Brasil', por Luciano Gazola
CRUELDADE
Criança tinha o pênis amarrado com elástico e era torturada pelo pai e a madrasta
MORTE TRÁGICA
Adolescente de 13 anos morre após sofrer queda de bicicleta
ESTAVA FORAGIDO
Homem que matou esposa na Sexta-feira Santa morre em acidente 03 dias depois
FEMINICIDIO
Advogada é assassinada a facadas por marido após discussão
100 LUZ
Giselle Itié lamenta a morte de outro ex-namorado em apenas três meses
CENSURADO
Video com ataques de Olavo a Militares é excluido das Redes de Bolsonaro
DOENÇA DO SÉCULO
Yasmim Gabrielle, do ‘Programa Raul Gil’, se suicida após depressão
FATALIDADE
Bebê morre após ser esquecida pelo pai por três horas dentro do carro
IRRESPONSABILIDADE
Bebê de 1 aninho entra em coma alcoólico após pai dar cachaça com refrigerante