Menu
SADER_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Afirmações da "Science" são frágeis e levianas, diz governo

22 Out 2004 - 17h14
O Ministério da Ciência e Tecnologia divulgou nota em que manifesta "estranheza e perplexidade" sobre a reportagem publicada pela "Science", que informa que o Brasil poderia construir até seis ogivas nucleares por
ano e que o motivo para evitar uma inspeção internacional na usina de Resende (RJ) seria esconder a origem das centrífugas, que, segundo a revista, usariam tecnologia copiada da Alemanha.

Segundo a nota, a argumentação do artigo é frágil, e os autores desconhecem a usina.

"A fragilidade da argumentação e leviandade das afirmações só podem ser devidas à uma grande desinformação ou a interesses escusos, ambos os motivos incompatíveis com uma revista científica do prestígio e tradição da 'Science'."

No dia 19 de outubro, uma missão da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) visitou a usina de Resende, mas os técnicos não tiveram acesso visual às centrífugas, onde é feito o enriquecimento do
urânio.

De acordo com a assessoria de imprensa, mesmo sem ver as centrífugas --elas ficam cobertas por um painel de alumínio--, a análise do restante da estrutura forneceria informações suficientes para saber como se dá o
enriquecimento do urânio --na usina, essa capacidade seria de 5%, enquanto para a construção de um bomba nuclear seria necessário um enriquecimento acima de 90% ou acima disso.

"Além dos registros e relatórios de material nuclear, existem verificações sobre a engenharia, verificações sobre a construção, análises destrutivas e não destrutivas do material, análises ambientais que permitem detectar, mesmo em partículas ínfimas (1/10.000.000.000.000 de grama!), o grau de enriquecimento e mesmo a estimativa da capacidade de enriquecimento da planta e sua efetiva utilização", explica a nota.

O ministério diz ainda que a posição da revista --ao dizer que enriquecer urânio a 3,5% já é meio caminho andado para se obter o material para a construção de uma bomba--, "equivale a dizer que nenhum
país pode ter acesso à tecnologia nuclear".

A nota termina afirmando que o Brasil cumpre todos os compromissos assumidos com a agência.
 
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação